Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Me sinto um assassino’, diz Petros após suspensão

Volante do Corinthians foi punido por seis meses por empurrão em árbitro

Por Da Redação - 19 ago 2014, 10h01

O volante Petros, do Corinthians, protestou contra a decisão do Superior Tribunal da Justiça Desportiva (STJD) de suspendê-lo por 180 dias por ter dado um empurrão no árbitro Raphael Claus durante o clássico contra o Santos, válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois do anúncio da punição, na noite desta segunda-feira, Petros criticou o rigor da pena. “Com todo respeito aos auditores, é incabível. Espero que o jurídico do Corinthians consiga resolver isso porque essa decisão não é justa”, disse. “Me sinto como um criminoso, como um assassino, um serial killer.”

Leia também:

Petros é punido por seis meses por agressão ao juiz

Copa do Brasil define oitavas sem clássicos regionais

Continua após a publicidade

Brasileirão tem menor média de gols em mais de vinte anos

Petros, do Corinthians, agride Rafael Claus, em clássico na Vila Belmiro
Petros, do Corinthians, agride Rafael Claus, em clássico na Vila Belmiro VEJA

Petros também mostrou receio por ficar tanto tempo fora do futebol. “Preciso trabalhar para sustentar minha família e, de maneira nenhuma, posso ser injustiçado.”

A defesa do Corinthians afirmou que vai aguardar o acórdão da decisão até quarta-feira para entrar com um recurso e, em seguida, pedir o efeito suspensivo da pena. Caso tenha o pedido aceito, Petros poderá atuar até que o caso tenha uma sentença definitiva pelos auditores do Pleno do STJD.

Aos 25 anos, Petros chegou ao Corinthians em abril, após se destacar no Paulistão pela Penapolense. Rapidamente, virou titular na equipe do técnico Mano Menezes e é o líder de desarmes no Brasileirão – roubou 43 bolas dos adversários.

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade