Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

McGregor nega aposentadoria e critica UFC – acredite – por promovê-lo demais

O maior fanfarrão do MMA disse que a exploração de sua imagem atrapalhou a preparação de suas lutas, mas já abre portas para retornar ao UFC 200

O irlandês Conor McGregor, o campeão peso-pena – e também de autopromoção – do UFC, quebrou o silêncio nesta quinta-feira e negou que tenha se aposentado (apesar de ter dito exatamente isso no Twitter há dois dias). O lutador de 27 anos explicou por que não compareceu a um evento do UFC, o que resultou em seu corte do badalado UFC 200, e criticou a organização, por – acredite se quiser – promovê-lo demais.

Em um longo depoimento, McGregor acusou o UFC de ter explorado sua imagem de maneira exagerada para obter lucros e considera que isso foi decisivo para sua derrota, no mês passado, diante do americano Nate Diaz, em sua primeira aventura na categoria dos meio-médios. Ele disse que gostaria de treinar mais e dar menos entrevistas antes da revanche contra Diaz, até então marcada para 9 de julho, no UFC 200, em Las Vegas, e disse que pediu “pequenos ajustes” na promoção da luta, mas não foi atendido.

“Eu vou sempre jogar o jogo e jogá-lo melhor do que ninguém, mas apenas desta vez, quando estou vindo de uma derrota, eu pedi alguma margem de manobra para poder apenas treinar e me concentrar. Eu não neguei todos os pedidos da mídia. Eu só queria um pequeno ajuste. Mas isso me foi negado”, alegou McGregor, em meio a ofensas à imprensa e ao adversário Nate Diaz.

Apesar das críticas ao UFC e de ter sido oficialmente cortado da edição 200 pelo presidente Dana White, McGregor se colocou à disposição para comparecer a um evento promocional, marcado para 27 de abril, em Nova York, dando a entender que aceitaria retornar ao card do evento – o que certamente traria lucros enormes a ele e à organização (e daria fortes indícios de que o anúncio de aposentadoria pode ter sido apenas mais um golpe do mestre da autopromoção).

O lutador irlandês, mais famoso por suas provocações do que por suas vitórias, se consagrou em dezembro do ano passado ao tomar o cinturão peso-pena do brasileiro José Aldo com um nocaute espetacular em apenas 13 segundos de luta, em Las Vegas. Eufórico com o título, ele decidiu se arriscar em uma categoria acima (disputaria o cinturão meio-médio com o brasileiro Rafael dos Anjos, que acabou cortado por lesão). Três meses e meio depois de vencer Aldo, McGregor foi completamente dominado por Nate Diaz, o substituto de Dos Anjos, que o venceu facilmente por nocaute.

O comunicado divulgado por McGregor em sua conta no Facebook:

“Eu estou apenas tentando fazer o meu trabalho e lutar aqui.

Eu sou pago para lutar. Eu ainda não sou pago para promover.

Eu me perdi no jogo de promoção e me esqueci da arte da luta.

Chega um momento em que você precisa parar de distribuir panfletos e voltar para a maldita loja.

Cinquenta turnês mundiais, 200 conferências de imprensa, um milhão de entrevistas, dois milhões de sessões de fotos, e no final de tudo, eu sou deixado olhando para o cano de uma lente, encarando a derrota, sem pensar em nada, a não ser na minha preparação incorreta para a luta. E as muitas distrações que levaram a isso.

Nada mais estava passando pela minha mente. É hora de voltar e viver a vida que me rendeu esta vida.

Sentado em um carro a caminho de algum buraco em Connecticut ou em outro lugar qualquer, para falar com Tim e Suzie no “ninguém dá a mínima” show não me deu a minha vida.

Conversando com uma senhora que no fundo não dá a mínima para o que estou fazendo, mas só quer algumas frases de efeito para que ela possa talvez ganhar um bom aumento. Tudo bem pra mim. Eu consegui aumentos para todos vocês. Mas preciso me concentrar em mim agora.

Agora é a hora da minha vingança.

Levei uma equipe inteira para Portugal e para a Islândia para fazer meus ajustes na preparação e corrigir os meus erros no corte de peso e na preparação física.

Com os ajustes certos e o foco certo, vou terminar o que comecei naquela última luta.

Mas não vou conseguir se eu estiver de volta à estrada distribuindo panfletos novamente.

Eu vou sempre jogar o jogo e jogá-lo melhor do que ninguém, mas apenas desta vez, quando estou vindo de uma derrota, eu pedi alguma margem de manobra para poder apenas treinar e me concentrar. Eu não neguei todos os pedidos da mídia. Eu só queria um pequeno ajuste.

Mas isso me foi negado.

Houve 10 milhões de dólares gastos para a promoção deste evento, pelo que me disseram.

Então, como um gesto de boa vontade, eu não apenas salvei esses 10 milhões de dólares, como também tripliquei..

E tudo com um tweet.

Guardem esses 10 milhões para promover os outros vagabundos que precisam dele. Meus shows são bons.

Devo me isolar agora.

Vou enfrentar um cara maior, mais longo e mais pesado. Eu preciso para se preparar corretamente neste momento.

Eu não posso dançar para vocês neste momento.

Está na hora dos outros macacos dançarem. Eu dancei para todo mundo até aqui.

A cabecinha de cogumelo do Nate parece estar ficar bem no palco hoje em dia. Coloque-o na frente das câmeras.

Ele não fez merda nenhuma para este evento. Eu já tinha feito conferências de imprensa, entrevistas e filmado os anúncios antes de Rafael dos Anjos pular fora.

Talvez eu vá para a Praia do Cabo desta vez e dê alguns tiros pré-luta, sem qualquer obrigação.

Eu estou fazendo o que é melhor para para mim agora.

É hora de ser egoísta com o meu treinamento novamente. É o único caminho.

Acho que os US$ 400 milhões que gerei para essa empresa em meus últimos três eventos, tudo em oito meses, é o suficiente para que eu me dê essa pequena margem.

Eu ainda estou pronto para ir para o UFC 200.

Vou me oferecer, como eu já fiz, para voar para Nova York para essa grande conferência de imprensa que já estava programada, e então eu vou voltar para o treinamento. Sem distrações.

Se isso não for suficiente ou se eles sentirem que eu não mereci me afastar desta promoção desta vez, bem, então eu não sei o que dizer.

E que fique registrado, também – Para a USADA, para o UFC e minhas cláusulas contratuais –

EU NÃO SOU APOSENTADO.”

(da redação)