Massa chega à Índia em ‘choque’ após mortes de pilotos

Por Da Redação - 25 out 2011, 11h41

Por AE

Nova Délhi – Felipe Massa desembarcou nesta terça-feira em Nova Délhi, visando a disputa do GP da Índia de Fórmula 1, no próximo domingo, ainda chocado com as recentes mortes ocorridas na Indy e na MotoGP, categorias que sofreram respectivamente com as perdas de Dan Wheldon e Marco Simoncelli após acidentes fatais. O brasileiro da Ferrari diz ter ficado em “estado de choque” depois das tragédias que entristeceram o mundo do automobilismo e do próprio esporte no final desta temporada.

O piloto afirmou estar “ansioso” para correr na Índia, país que ele visita pela primeira vez e que celebrará o seu primeiro GP da F-1, mas admitiu que chegará para a prova em Nova Délhi abalado pelos recentes acontecimentos. “No momento, todos os meus pensamentos estão com as famílias e amigos de Marco Simoncelli e Dan Wheldon. Parece que quando coisas ruins acontecem, vêm todas de uma vez. Por causa da diferença de horário entre a Malásia e o Brasil, eu descobri sobre o acidente MotoGP logo que acordei na manhã de domingo, quando eu estava em casa em São Paulo. É inacreditável e eu estava em estado de choque depois dela”, afirmou o brasileiro, nesta terça-feira, por meio do seu blog no site oficial da Ferrari.

“Simoncelli foi um cara muito legal e um dos personagens do esporte de corridas de motos e um grande talento. Vindo logo após a morte de Dan Wheldon, que era um amigo meu, estes foram tempos muito difíceis e é inacreditável que esses tristes acontecimentos aconteçam com apenas uma semana de intervalo”, reforçou.

Publicidade

E Massa aproveitou o seu blog para cobrar melhorias na segurança na Indy. O piloto, porém, evitou entrar nesta questão ao falar da morte ocorrida na MotoGP. “Eu não estou qualificado para falar sobre o acidente de Simoncelli, porque eu não tenho experiência de corridas de moto, mas, no caso de acidente de Dan, espero que a única coisa que aconteça seja que sirva como um alerta para os carros da Indy melhorarem seus níveis de segurança, da mesma forma como o que aconteceu em Ímola, em 94, levou ao aumento da segurança na F-1”, completou o piloto, lembrando da trágica morte de Ayrton Senna, antes de acrescentar que a “Indy precisa fazer muito para melhorar a segurança”.

Entre as possíveis mudanças nesta aspecto, Massa sugeriu o uso de cockpits fechados, tendo em vista o grande número de carros no grid e o risco que isso acaba proporcionando. O piloto brasileiro, porém, enfatizou que isso “é apenas uma idade e que todo o pacote de segurança precisa ser olhado completamente”.

Já ao falar sobre a sua expectativa para o GP da Índia, Massa mostrou otimismo depois de ter obtido uma primeira impressão sobre a pista de Nova Délhi por meio de um teste no simulador de prova no computador. “Como eu disse, será a minha primeira vez na Índia e eu adoro conhecer novos lugares, por isso estou convencido de que será uma semana muito interessante”, analisou.

Publicidade