Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Masculino não repete feminino e perde ouro para Argentina

O polo aquático masculino do Brasil perdeu a final do Sul-Americano Absoluto para a Argentina por 9 a 6, neste sábado, logo após o time feminino bater a mesma Argentina na final das mulheres. Há dois anos, no Sul-Americano Absoluto de Medellín, a Argentina já havia ganho uma final contra a dona da casa, a Colômbia. Na ocasião, com uma equipe muito jovem, o Brasil conquistou o bronze.

Os gols do Brasil foram de Felipe Silva (3), Bernardo Reis Rocha, Henrique e Gabriel Reis, este o artilheiro do Brasil na competição com 24 gols. Na disputa da medalha de bronze, vitória da Venezuela sobre a Colômbia por 8 x 7. O melhor jogador da competição foi o argentino German Yañez (touca 12), que ganhou o prêmio Señor de Sipan.

O primeiro gol da decisão foi do capitão brasileiro Felipe ‘Charuto’ Silva aos 7’10, num arremesso que surpreendeu o goleiro argentino. Aos 4’20, Marcelinho fez grande defesa em jogada de homem a mais dos argentinos. No ataque seguinte, a Argentina empatou aos 2’12, livre diante do goleiro. Gu marcou, sozinho diante do goleiro, aos 56′.

Gu sofrera ataque no meio da piscina e recebeu a bola do goleiro Marcelinho, mas o árbitro uruguaio anulou, alegando que a bola fora cobrada fora de lugar, o que foi muito contestado pelo banco brasileiro, já que a infração poderia ter sido cobrado atrás.

No segundo quarto, a Argentina virou o marcador com um bonito gol. Aos 44 segundos, o Brasil não aproveitou jogada de homem a mais, com nova excelente defesa do goleiro argentino.

O terceiro quarto começou com um ‘balde de água fria’ pra seleção brasileira, com o gol sofrido aos 7’28, colocando a Argentina com dois gols de vantagem: 4 a 2. Aos 5’03, o Brasil perdeu outro homem a mais. Aos 4’31, Felipe Silva diminuiu a desvantagem com um gol da linha dos 5 metros, após uma exclusão dupla na partida, tendo o brasileiro Grummy envolvido. A Argentina fez 5 a 3 no marcador quando aproveitou um homem a mais aos 3’41 e ainda fechou com 7 a

O quarto final começou com mais um gol argentino, em ponte-aérea pelo centro, aos 7’22, e só viu os vizinhos manterem a vantagem para selarem o 9 a 6