Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Maratona de Boston libera atletas trans em prova feminina

A Organização do evento dispensou a prova de controle hormonal

Por Da redação - 11 abr 2018, 16h43

A tradicional Maratona de Boston, criada em 1897, a segunda mais antiga do mundo, depois da olímpica, liberou neste ano a participação de transgêneros na competição feminina. Até o momento, cinco atletas trans se inscreveram na maratona que ocorre na próxima segunda-feira. As participantes trans não precisarão provar que limitaram o nível de testosterona no corpo.

Em algumas modalidades olímpicas, como o vôlei, a participação de transgêneros começou há pouco tempo, com uma norma que obriga a prova da diminuição da quantidade de hormônios masculinos no corpo das atletas, para evitar superioridade física em relação às mulheres. Mas a regra não será aplicada na Maratona de Boston.

“Acreditamos na palavra das pessoas, vamos registrá-las como se descrevem e se sentem. Membros da comunidade LGBT já sofreram muitos problemas durante anos, não vamos criar mais um”, declarou Tom Grielk, chefe da Associação Atlética de Boston, ao jornal Boston Herald.

Publicidade