Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maquete do novo Maracanã é exibida em evento no Rio

Ex-presidente da Fifa, João Havelange criticou a reforma do estádio

“Com tudo o que foi feito, já se teria um novo estádio moderno e perfeito”, disse Havelange

Um novo Maracanã foi apresentado, nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro – por enquanto, em escala reduzida. A maquete do novo estádio foi apresentado nesta segunda-feira, na Soccerex, convenção de negócios e futebol que acontece até a próxima quarta-feira, no Forte de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. O destaque do modelo exibido pelo ministro dos Esportes, Orlando Silva, e pela secretária estadual de Esportes, Turismo e Lazer, Márcia Lins, foi a cobertura que protegerá todos os torcedores do estádio das intempéries – uma exigência da Fifa para a Copa de 2014.

Sustentado pela cobertura parcial que já existe no estádio, o novo teto vai cobrir 100% das arquibancadas, deixando apenas o gramado exposto à luz do sol. Uma estrutura metálica e uma superfície flexível vão estender o anel original. As rampas monumentais do projeto original vão ser novamente usadas pelos torcedores.

O orçamento pervisto é de 705 milhões de reais, sendo 305 milhões de reais bancados pelo governo do estado e o restante financiado pelo BNDES. Segundo a secretária Márcia Lins, a obra “está caminhando sem atrasos” e o Maracanã será entregue no prazo, em dezembro de 2012.

As alterações visam a modernizar o sexagenário estádio, construído originalmente para a Copa de 1950. Para dar maior conforto ao público, além da cobertura, as cadeiras passarão a ser mais largas – o que contribuirá para a redução da capacidade do estádio, que cairá de 86.000 para 76.000 lugares.

A maquete, no entanto, não recebeu só elogios. No mesmo evento, em outro momento, o ex-presidente da Fifa João Havelange voltou a criticar a reforma do estádio, nesta segunda-feira. Após relembrar que o Maracanã passou recentemente por outra reforma, para os Jogos Pan-Americanos de 2007, Havelange voltou a afirmar que a demolição teria sido uma solução mais eficiente e econômica.

“Com tudo o que foi feito, já se teria um novo estádio moderno e perfeito. Hoje, o importante não é ter só um estádio de futebol, mas algo que possa ser transformado e destinado a outras atividades. Essa nova reforma mostra que eu estava certo”, finalizou o ex-dirigente.