Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mano define seleção com Kaká e confessa trauma olímpico

Meia de 30 anos será titular contra o Iraque. Treinador não vê problemas em escalar um reserva do Real - e revela que ainda pensa na derrota em Londres

Por Da Redação 10 out 2012, 10h54

“Ser titular ou não na seleção não diz respeito ao que ele vive no clube. O que ele vive no Real é problema do Mourinho”, afirmou Mano sobre Kaká

A seleção brasileira viaja nesta quarta-feira à Suécia – onde disputa um amistoso contra o Iraque, em Malmoe, na quinta – com seu time titular definido e Kaká garantido na escalação. O meia do Real Madrid, que volta a vestir a camisa do Brasil depois de uma ausência de dois anos, dividirá a armação com Oscar. O Brasil não terá um centroavante fixo: Neymar e Hulk, atacantes que têm mais mobilidade e gostam de jogar pelos lados do campo, serão os titulares. No último treino antes do embarque, na Polônia, o técnico Mano Menezes resolveu fortalecer as jogadas de bola parada da equipe. Na atividade da manhã desta quarta, o destaque foi o zagueiro David Luiz, que apareceu várias vezes de surpresa para finalizar.

O treinador confirmou já nesta quarta a equipe que enfrenta os iraquianos. Caso não tenha nenhum problema de última hora, Mano deve colocar em campo a seguinte equipe: Diego Alves; Adriano, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Paulinho, Ramires, Kaká e Oscar; Neymar e Hulk. O amistoso contra o Iraque está marcado para as 15h30 (no horário de Brasília). Depois da partida, a seleção volta à Polônia e inicia a preparação para o segundo amistoso desta série, contra o Japão, na terça-feira. A partida contra os japoneses pode ser a penúltima da seleção brasileira na temporada. A despedida deve ser contra a Colômbia, em Nova Jersey, num amistoso ainda não confirmado, mas previsto para 14 de novembro.

Leia também:

Dois anos depois, Kaká retorna à seleção para amistosos

CBF sonha com Espanha e Itália e acorda com Iraque e Japão

Cinco problemas que Mano Menezes precisa resolver na seleção

Continua após a publicidade

Os jogos contra o Iraque e o Japão servem principalmente para Mano testar Kaká. O técnico já vinha procurando uma forma de dar mais experiência à equipe, já que seus principais jogadores, como Oscar e Neymar, são muito jovens. A entrada do jogador de 30 anos, que já disputou três Copas, pode ser decisiva dentro dessa estratégia. Em entrevista coletiva concedida nesta quarta, Mano disse que o fato de Kaká ser reserva do Real Madrid não importa para ele. “Ser titular ou não na seleção não diz respeito ao que ele vive no clube. O que ele vive no Real é problema do José Mourinho”, disse Mano, citando o treinador português do Real Madrid. “Mas vamos com calma. Não é necessário Kaká chegar e resolver tudo.”

Leia também:

Decepção na Argentina sela um ano perdido para a seleção

Seleção alcança sua pior colocação no ranking da Fifa: 14º

‘Dona’ da seleção até 2022 está sob suspeita de corrupção

Na mesma entrevista, Mano Menezes admitiu que a final do torneio olímpico de futebol, em Londres, contra o México, continua atormentando seus pensamentos. “O jogo contra o México não sai da minha cabeça”, confessou, em referência à derrota por 2 a 1 na disputa da medalha de ouro. A participação da seleção em Londres era considerada a melhor chance possível para a seleção conquistar seu primeiro título olímpico. Mano acha que o que definiu aquela partida foi o primeiro gol, aos vinte segundos de jogo. “O que lembro sobre o jogo? Vinte segundos, vinte segundos, vinte segundos…”, repetiu o treinador. Questionado sobre o que a seleção aprendeu com a falha, o treinador evitou responder: “Agora já passou”.

(Com agência Gazeta Press e Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade