Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Manchester City vence clássico e vira líder do Inglês

Por Da Redação 30 abr 2012, 18h02

Por AE

Manchester – Há quatro rodadas, o Manchester United tinha oito pontos de vantagem na ponta do Campeonato Inglês e parecia impossível que alguém lhe tirasse o título. Mas tudo mudou em três semanas. Principalmente depois da vitória do Manchester City sobre o seu rival caseiro, por 1 a 0, nesta segunda-feira, no Estádio Cidade de Manchester.

Isso porque agora o Manchester City é o líder do Campeonato Inglês. Os dois times têm 83 pontos, mas a equipe azul fica na frente porque tem melhor saldo de gols: 61 a 53. Ao Manchester United, resta tentar reverter esta desvantagem com goleadas sobre Swansea City (em casa) e Sunderland (fora), times que só cumprirão tabela nas duas últimas rodadas da competição.

Já o City tem um calendário um pouco mais difícil, porque no próximo domingo vai jogar fora de casa contra o Newcastle, o quinto colocado, que luta por uma vaga na Liga dos Campeões. Depois, o jogo do título pode ser contra o Queens Park Rangers, que briga contra o rebaixamento, em Manchester. A taça do Campeonato Inglês seria apenas a terceira da história do Manchester City, que foi campeão em 1967/68 e 1936/37.

O JOGO – Com cara de clássico, a partida teve mais garra do que belas jogadas. Exceção aos primeiros 10 minutos, a etapa inicial teve o Manchester United pensando em se defender (Rooney era o único atacante) e o City bastante preocupado em atacar (com David Silva, Tévez e Agüero na frente). Balottelli, perdoado por Mancini, ficou no banco dos donos da casa.

Continua após a publicidade

As chances reais de gol, porém, eram escassas. Destaque para duas jogadas de linha de fundo do City. Numa, Tévez cruzou e Jones salvou. Em outra, Nasri fez a jogada e Agüero, no meio da ára, mandou para fora.

O gol só saiu aos 46 minutos. David Silva cobrou escanteio pela esquerda e Kompany subiu mais que a marcação para testar firme para dentro do gol, sem nenhuma chance para o goleiro De Gea.

Conforme esperado, a pressão mudou de lado no segundo tempo. Era o Manchester United que precisava vencer e partiu para o ataque. Aos 3 minutos, Giggs quase fez gol olímpico – Hart tirou de tapinha. Tal qual o City, porém, o time vermelho tinha dificuldades em ameaçar o gol.

Precisando vencer, Alex Ferguson trocou Park e Scholes pelos atacantes Valencia e Welbeck. Mancini respondeu tirando dois homens de frente (Tévez e David Silva) e colocando dois jogadores de contenção: Richards e De Jong. Ainda assim, foi o City que fechou o jogo sendo mais perigoso, aproveitando os espaços no contra-ataque. Não fosse o preciosismo, poderia ter feito 2 a 0.

Nos minutos finais, um momento raro no futebol inglês. Mancini e Ferguson se desentenderam depois de um lance mais ríspido em campo e trocaram ofensas, a ponto de precisarem ser separados. No fim do jogo, se cumprimentaram protocolarmente.

Continua após a publicidade
Publicidade