Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lyon deseja acabar com sonho do Apoel na Liga dos Campeões

Redação Central, 6 mar (EFE).- O Lyon tentará manter nesta quarta-feira, no Chipre, a vantagem mínima que conseguiu em casa na partida de ida sobre o Apoel Nicosia e se classificar para as quartas de final da Liga dos Campeões, enquanto o adversário tentará dar continuidade ao seu feito histórico e avançar de fase mais uma vez.

Os comandados do técnico Rémi Garde irão para Nicósia com o moral abalado por causa dos maus resultados recentes no Campeonato Francês, em que somaram apenas um ponto nos últimos 12 possíveis, mas precisando apenas de um empate para se classificaram para as quartas de final.

Um bom resultado na partida desta quarta aliviaria os problemas no torneio local, que foram acentuadas com críticas do presidente do clube, Jean-Marie Aulas, que acusou os jogadores do elenco de serem ‘crianças com talento, que têm dinheiro e glórias, mas pouco compromisso e constância’.

Apesar de ter a vantagem do empate, a equipe francesa chega ao Chipre com a credencial de disputar as oitavas de final da Liga dos Campeões pela nona vez consecutiva.

O principal problema do Lyon é a ausência do croata Dejan Lovren, o que faz com que o sistema defensivo da equipe fique mais frágil. Garde terá que decidir se aposta no brasileiro Cris ou se dá uma chance ao prata da casa Umtiti, de 18 anos, que faria seu primeiro jogo na principal competição europeia.

O Apoel deseja continuar escrevendo sua história na competição continental. Foi o primeiro time cipriota a alcançar as oitavas de final da Liga dos Campeões e a intenção é bater outros recordes no futebol de seu país.

Na tentativa da virada, o time do técnico esloveno Ivan Jovanovic confia no poder de sua torcida. A equipe mantém nove jogos internacionais sem perder em seu estádio, o GSP (seis vitórias e três empates). A principal ausência para partida é o meio-campista Hélio Pinto, suspenso.

Prováveis escalações:.

Apoel Nicosia: Chiotis; Poursaitides, Paulo Jorge, Kaká e William Boaventura; Hélder Sousa, Nuno Morais, Charalambidis, Gustavo Manduca e Trickovski; Aílton. Técnico: Ivan Jovanovic.

Lyon: Lloris; Réveillère, Koné, Cris (Umiti) e Cissokho; Gonalons, Källstrom, Briand, Ederson e Michel Bastos; Lisandro Lopez. Técnico: Rémi Garde.

Árbitro: Alberto Undiano Mallenco (Espanha), auxiliado por seus compatriotas Roberto Alonso Fernández e Jesús Calvo Guadamuro. EFE