Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Luta greco-romana perde seu lugar no programa olímpico

A partir de 2020, a modalidade deixará os Jogos. No Rio, ainda será disputada

Sete modalidades cotadas para integrar a programação a partir de 2020: squash, escalada, wakeboard, patinação, karatê, wushu e beisebol

Uma modalidade bastante tradicional em Olimpíadas deverá se despedir dos Jogos no Rio de Janeiro, em 2016. O Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiu nesta terça-feira que a luta greco-romana será excluída do programa fixo dos esportes olímpicos a partir da edição de 2020, cuja sede ainda não está definida. O programa, que contava com 26 modalidades até Londres-2012, precisava ser reduzido. A decisão foi tomada numa reunião realizada na sede do COI, em Lausanne, na Suíça. Além da luta greco-romana, outros quatro esportes eram muito citados como possíveis alvos do COI: badminton, tênis de mesa, taekwondo e principalmente o pentatlo moderno, em que o Brasil foi bronze em Londres, com Yane Marques.

Leia também:

Leia também: Candidatas a sede dos Jogos de 2020 pedem votos no Rio

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

De acordo com as regras do COI, os Jogos podem ter no máximo 28 esportes, sendo que 25 são os integrantes do programa fixo de modalidades. A exclusão da luta greco-romana ainda precisa ser oficializada na importante reunião que o COI realiza em setembro em Buenos Aires. Nesse encontro, além de definir a programação completa para os Jogos de 2020, o comitê se reunirá para escolher a sede do evento. As finalistas são Istambul, Madri e Tóquio. Com o corte da luta greco-romana, o cardápio de modalidades fixas da Olimpíada tem os seguintes esportes: natação, canoagem, ciclismo, hipismo, ginástica, vôlei, atletismo, handebol, tiro com arco, badminton, basquete, boxe, esgrima, futebol, hóquei, judô, pentatlo moderno, remo, iatismo, tiro, tênis, tênis de mesa, taekwondo, triatlo e halterofilismo.