Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Luis Fabiano torce pelo Vasco, mas não põe fé no ‘razoável’ Palmeiras

Com o São Paulo fora da briga pela taça do Campeonato Brasileiro, o atacante são-paulino Luis Fabiano vai torcer para o Vasco superar o Corinthians e conquistar o título no domingo. O camisa 9, no entanto, acredita que as chances do Timão são muito grandes.

‘Sinceramente, acho muito difícil que o Palmeiras vença o Corinthians’, opinou o centroavante, à Rádio Globo, lembrando que o Vasco não depende de suas próprias forças para terminar em primeiro lugar: além de vencer o Flamengo, precisa torcer para que o Verdão triunfe sobre o alvinegro paulista. ‘O Palmeiras ganhou da gente, tem um time razoável, com o melhor cobrador de faltas do Brasil, que é o Marcos Assunção, mas no Pacaembu lotado o Corinthians não vai dar chance’, lamentou.

‘Está claro que o Corinthians é um grande candidato e está muito perto de ser campeão. O que nos resta é torcer para o Vasco e para o Palmeiras’, emendou o goleador, que reconheceu a superioridade do atual líder do torneio sobre os concorrentes. ‘Se está aí, é porque mereceu, apesar de ter tropeçado muitas vezes em decisões. Os outros também não mereciam estar lá, nem chegaram perto, nem ameaçaram’.

Se está pessimista sobre a possibilidade de ver o rival perder o título, o Fabuloso tenta encontrar ânimo para confiar na conquista de uma vaga na Libertadores pelo São Paulo. O time do Morumbi precisa vencer o Santos, no domingo, e torcer contra Internacional, Figueirense e Coritiba nos confrontos regionais contra Grêmio, Avaí e Atlético-PR, respectivamente.

‘Eu, siceramente, quero acreditar que é possível, mas sei que está muito difícil. Temos que ganhar o jogo e torcer para que três milagres aconteçam’, admitiu. ‘O São Paulo no Brasileirão, assim como em todo o ano, não foi legal, foi muito abaixo do esperado. A gente esperava estar brigando pelo título, estar confirmado na Libertadores, mas tudo que pensamos não aconteceu. Foi um ano perdido, mas serve de lição para não cometer os mesmos erros nos próximos anos’.