Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Luis Fabiano aproxima Tricolor da Libertadores e sela queda do Coelho

Por Da Redação 19 nov 2011, 23h43

Desde a metade do segundo turno, em meio a um jejum de nove rodadas sem vitória, o são-paulino ouve promessas de grandes atuações e gols de Luis Fabiano, principalmente no Morumbi. Neste sábado, tudo foi cumprido, para tristeza do América-MG, que perdeu por 3 a 1 no estádio do Tricolor, com dois gols do ídolo da camisa 9, e teve confirmado seu rebaixamento à segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Foi tardia, na antepenúltima rodada do Campeonato Brasileiro, mas a reação do São Paulo, enfim, apareceu neste fim de semana. E vale a quinta colocação na tabela, dentro da faixa que dá vaga na Libertadores, ao menos até a tarde deste domingo, quando Flamengo, Botafogo e Inter podem ultrapassá-lo.

A lamentação fica com o Coelho mineiro, que para nos 34 pontos, em penúltimo lugar, e teve sua presença na Série B de 2012 garantida devido aos confrontos diretos entre Cruzeiro e Atlético-PR, e Ceará e Cruzeiro, que impedem o time de alcançar aqueles que estão acima da faixa que define quem cairá.Os comandados de Emerson Leão tiveram culpa nisso. Com um time ofensivo e envolvente, terminou o primeiro tempo vencendo com gols de Luis Fabiano, aos 25 e 42 minutos. Aos seis do segundo tempo, o artilheiro ainda trocou seu terceiro gol por um passe para Juan ampliar. Aos 11, Xandão foi expulso, mas os visitantes só conseguiram colocar a bola nas redes uma vez, com Alessandro, aos 34.

Na próxima rodada, o Tricolor realiza um clássico contra o Palmeiras, no Pacaembu, na tentativa de manter a arrancada rumo à classificação para a Libertadores do próximo ano. A equipe alviverde de Belo Horizonte, já cumprindo tabela, recebe o Atlético-PR.

O jogo – Com a necessidade de vitória e a irritação com uma postura aquém das expectativas principalmente como anfitrião, Leão colocou o São Paulo na frente. O time começou o duelo contra o América-MG com somente Jean como volante. Novidades em relação à última rodada, Luis Fabiano e Dagoberto faziam a diferença, ajudados por grande atuação de Lucas.

Continua após a publicidade

Com Cícero na função de acelerar a bola na transição ao ataque, Dagoberto girando na intermediária para dar dinâmica ao time e Lucas e Fernandinho abertos, Luis Fabiano tinha sempre alguém para tabelar ou dividir as atenções. A constante troca de posições deixava a defesa americana completamente perdida.

Os mineiros até conseguiram conter o ímpeto por alguns minutos tocando a bola com calma. Chegaram a levar perigo em cabeçada de Gabriel rente à trave, aos 13 minutos. Mas o único que conseguia realmente segurar o Tricolor era Neneca, que aos três, aos sete e aos 24 fez grandes defesas em um arremate de Luis Fabiano e dois de Lucas.Os anfitriões, contudo, dominavam mesmo com Fernandinho prendendo a bola e parando a sempre rápida troca de passes na frente. Do outro lado, porém, havia Lucas. E foi por ali que foi cobrado escanteio que parou nas redes graças a uma cabeçada certeira e indefensável de Luis Fabiano, aos 25 minutos.

Enquanto os visitantes ainda tentavam entender como parar alguém além de Fernandinho, Luis Fabiano quase fez outro em voleio. Aos 42 minutos, porém, o artilheiro contou com a inteligência de Lucas, que prendeu a bola no meio-campo como um veterano, esperou Piris para tabelar e lançou na área para o camisa 9 só tocar na saída de Neneca, ampliando o placar.

Merecidamente, o São Paulo foi para o intervalo aplaudido, gesto raro da torcida neste Brasileiro. A empolgação foi demonstrada com um gol pouco depois do intervalo. Ainda mais rápido do que na etapa inicial, o time teve a primeira (e fatal) grande jogada de Fernandinho, que foi da esquerda para a direita e achou Luis Fabiano livre na área. Solidário, o centroavante abdicou de seu terceiro gol para deixar Juan com a meta vazia e fazer 3 a 0 aos seis minutos.Estava tudo definido. Até que Xandão resolveu também ser protagonista, mas de forma negativa. O zagueiro cometeu falta dura no meio-campo e recebeu o segundo cartão amarelo, deixando o Tricolor com um a menos a partir dos 11 minutos do segundo tempo. Para se recuperar, o América-MG colocou o time na frente.

A primeira reação mineira foi uma bola na trave após chute de Micão, aos 17 minutos. O São Paulo, contudo, conseguiu comandar o toque de bola e segurar o adversário. O Coelho até descontou graças a bola mal desviada por Bruno Uvini, que a deixou para Alessandro diminuir, aos 34 minutos.

Já era tarde para mudar o resultado. Nos minutos finais, em vez de pressão americana, o que se viu foi um aplauso intenso no momento em que Luis Fabiano foi sacado. As vaias sumiram. A noite de sábado foi de agradecimento à contratação mais cara da temporada no Brasil, responsável por renovar as esperanças são-paulinas.

Continua após a publicidade

Publicidade