Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Luis Álvaro minimiza opinião de vice sobre troca de Ganso por Montillo

De volta após um período de férias em Salvador-BA, o presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, minimizou os comentários do seu vice, Odílio Rodrigues, sobre uma hipotética troca envolvendo os meias Paulo Henrique Ganso e Montillo, do Cruzeiro.

Segundo o mandatário do Peixe, o dirigente deu uma opinião pessoal sobre o assunto em entrevista à Rádio Jovem Pan e, não uma posição oficial do clube sobre a possibilidade de uma transação nesses moldes ir adiante.

‘Conversei com o Odílio pois, de fato, o que ele falou repercutiu bastante. Mas não vejo motivo para alarde. Ele deu uma opinião pessoal, já que não pode se negar que o Montillo é um grande jogador. Ele seria uma alternativa boa no campo da especulação, do palpite, como algo que é dito numa roda de amigos. Eu, por exemplo, posso apontar que o Iniesta seria melhor que o Xavi para compor o meio-campo do nosso time, só que isso não quer dizer que existe uma negociação em curso’, destacou Luis Álvaro à Rádio Estadão/ESPN.

Incisivo, o presidente santista fez questão de reforçar que não há conversas em andamento para tratar do assunto. ‘Não existe nada. O Cruzeiro quer manter o Montillo, enquanto o Paulo Henrique tem contrato até 2015 conosco. Ele (Ganso) está precisando, quer e deseja recuperar o seu melhor futebol, após um ano de 2011 tenebroso, por causa das lesões sofridas durante esse período. Sendo assim, o Paulo Henrique continua no Santos e o Montillo no Cruzeiro’, comentou.

Mesmo após a polêmica envolvendo a venda de 10% dos direitos econômicos do maestro alvinegro ao grupo DIS, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro reforçou a intenção de contar com Ganso durante todo o ano de 2012, na temporada que marca o centenário do Santos.

‘Nossa relação está boa. Eu quero que o Paulo Henrique continue. Quando a gente assina um contrato, a gente quer que ele vá até o final. Muitas vezes, o jogador, por alguma razão, tem o interesse de rescindi-lo antes do seu término e a gente tem que respeitar esse tipo de posição. Agora, não vamos impor nada. O que tem é que se algum dia ele quiser sair, e tiver propostas que possibilitem agradar aos anseios dele e resguardar os direitos do clube, nós vamos respeitá-lo’, encerrou.