Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Luciano do Valle teve morte súbita causada por infarto

Corpo já foi liberado pelo IML e será transportado para Campinas, no interior de São Paulo. Ainda não há informações sobre a data do enterro

O locutor esportivo Luciano do Valle teve uma morte súbita causada por um infarto agudo no miocárdio. A informação foi confirmada na noite deste sábado pela funenária que será responsável pelo transporte do corpo para Campinas, no interior de São Paulo, onde será velado e sepultado neste domingo.

Após passar mal em um voo que partiu de São Paulo para Uberlândia, Minas Gerais, Luciano foi encaminhado ao hospital Santa Genoveva, onde já chegou desacordado, de acordo com Luiz de Freitas Costa Neto, presidente do hospital. Os médicos tentaram reanimá-lo, sem sucesso.

Leia também:

Morre o narrador esportivo Luciano do Valle

Segundo Costa Neto, Luciano chegou ao hospital acompanhado de outro jornalista da rede de televisão Bandeirantes, que iria segui-lo na transmissão da partida do Atlético-MG e Corinthians, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro, que será realizada neste domingo, em Uberlândia.

Luciano foi atendido pelo médico Roberto Botelho, que disse que o narrador reclamou de dores nas costas e no peito durante o voo para Uberlândia. “Este é um sintoma bastante comum em casos de morte súbita por infarto, aneurisma e embolia pulmonar”, disse Costa Neto, em entrevista ao site de VEJA.

O corpo de Luciano foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), de Uberlândia, onde passou pelo procedimento de necropsia que determinou a causa da morte. O laudo completo da morte levará de quinze a trinta dias para ser finalizado, informou um funcionário do IML.

Biografia – Luciano do Valle nasceu na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, em 1947. Ele começou a carreira profissional aos 16 anos como locutor na Rádio Educadora, ao lado do radialista Lombardi Netto. Trabalhou na Rádio Brasil de Campinas, antes de ser convidado pelo locutor esportivo Pedro Luís Paoliello para atuar na Rádio Gazeta, em São Paulo. Em 1968, mudou-se para a Rádio Nacional (atual Globo).

Ele chegou à TV em 1974, pela própria Globo. Ali, substituiu Geraldo José de Almeida no posto de titular, na fase pré-Galvão Bueno. Pela emissora carioca, narrou o segundo título de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1, em 1974, e transmitiu duas Copas (1978 e 1982) e duas Olimpíadas (1976 e 1980). Quando saiu da Globo, teve uma rápida passagem pela Record, onde organizou o jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética, no Maracanã, que detém, até hoje, o recorde de público numa partida de vôlei. Confira abaixo um vídeo de Luciano durante esta partida:

Na Band, Luciano estreou em 1983, onde criou o Show do Esporte, levando para a TV as jornadas esportivas do rádio. Ele foi precursor nas transmissões da Fórmula Indy, em 1985. Foi a partir da voz dele que o Brasil acompanhou a rivalidade entre as equipes de Hortência e Paula que, juntas, ganharam os Jogos Pan-Americanos de 1991, em Havana (Cuba), e o título mundial de 1994. Luciano foi uma espécie de promotor do boxeador Maguila, principal peso pesado brasileiro da história.

O locutor abriu espaço para as transmissões de jogos de basquete da NBA no Brasil e também para o futebol americano. Criou modelos bem sucedidos para a TV, como o Verão Vivo – transmitido de postos da Band no litoral brasileiro – e o Apito Final, base do modelo de mesa redonda que se popularizou nas últimas duas décadas. Ele comandou o programa de variedades Valle Tudo, o programa matinal Tudo em Dia e transmitiu desfiles de carnaval.

No início de 2012, Luciano teve um AVC que o obrigou a passar por sessões de fonoaudiologia, para reaprender a falar. Apesar da saúde debilitada, o narrador não se afastou das transmissões e não falava em aposentadoria. Uma operação na bexiga o tirou da cobertura dos Jogos de Londres de 2012 pela Bandsports. Seu último trabalho foi na final do Campeonato Paulista, quando o Ituano venceu, nos pênaltis, o Santos e levou o título.