Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucas almeja títulos no São Paulo após ter ano ‘nota 7’

Por AE

São Paulo – Depois de aparecer com grande destaque ao lado de Neymar no início de 2011 na campanha do título do Campeonato Sul-Americano Sub-20, que garantiu a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, Lucas foi alçado à condição de estrela no São Paulo. Porém, o bom desempenho com a camisa nacional não foi repetido pelo meia durante a maior parte da temporada no clube do Morumbi, que amargou mais um ano sem títulos.

Com isso, Lucas admite que precisará evoluir na equipe são-paulina, que em 2012 não disputará pelo segundo ano consecutivo a Copa Libertadores da América e voltará a lutar para retomar o status que perdeu nas últimas duas temporadas. “Daria uma nota 7 para o meu ano, mas se Deus quiser vou em busca da nota máxima em 2012 para poder levar o São Paulo novamente ao topo das competições que participar”, afirmou o jovem jogador, de apenas 19 anos, em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo site oficial do clube.

E Lucas garante que o foco do Brasil na conquista da inédita medalha de ouro nos Jogos de Londres não irá impedi-lo de se empenhar ao máximo com a camisa são-paulina em 2012. Ao ser questionado sobre a chance de ser campeão olímpico, ele respondeu: “Com certeza é um dos meus sonhos. Mas quero títulos pelo São Paulo também, isso é muito importante para mim. A Olimpíada é um objetivo, ainda mais buscar o ouro inédito. Vou dar meu sangue e minha vida no São Paulo para poder ganhar os títulos e fazer parte do grupo que vai para Londres”.

Após brilhar pelo Brasil no Sul-Americano Sub-20 no início de 2011, Lucas destacou que sua boa participação na competição foi o “primeiro passo rumo à seleção principal”, na qual estreou com vitória de 2 a 0 em um amistoso contra a Escócia, em Londres, no mês de março. “Entrei poucos minutos diante da Escócia e foi uma emoção muito diferente. Consegui realizar um sonho de criança, que era representar o meu País”, lembrou.

Lucas, porém, garante que ainda não se considera um jogador com cadeira cativa na equipe comandada por Mano Menezes, apesar de ter sido convocado com frequência pelo comandante na temporada. “Vamos aos poucos ganhando o nosso espaço na seleção. Tenho de provar a cada dia que mereço a convocação. E pode ter certeza de que vou fazer isso”, prometeu.