Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lesões de Galhardo e Bernardo e incômodo de Arouca preocupam Muricy

Além de não ter conseguido a sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, ao empatar com o Sport em 0 a 0, neste domingo, na Vila Belmiro, o Santos saiu com algumas preocupações desta partida. O lateral direito Rafael Galhardo e o meia-atacante Bernardo deixaram o campo acusando lesões e terão de ser submetidos a exames médicos para saberem o que realmente aconteceu. O volante Arouca também se queixou de dores e é outro que preocupa.

Galhardo foi o primeiro a deixar o jogo, ainda na etapa inicial, com dores no pé. A suspeita do departamento médico é de entorse ou até mesmo de uma lesão no osso do pé. O diagnóstico só poderá ser feito após a conclusão dos exames no ala, contratado recentemente junto ao Flamengo.

Já no segundo tempo, Bernardo acusou problema na virilha e os médicos diagnosticaram dor no músculo adutor da coxa direita. Porém, a exemplo do que acontece com Rafael Galhardo, só com os resultados dos exames poderá ser estipulado o seu tempo de recuperação.

Além de Galhardo e Bernardo, o Peixe ainda viu Arouca ficar até o final do confronto com os pernambucanos na Vila, mas também se queixando de dores musculares.

A situação preocupa o técnico Muricy Ramalho, que voltou a falar da necessidade da contratação de mais reforços para o elenco santista. ‘O pior é ter jogador machucado. Temos dois centroavantes fora (Borges e Dimba, outros contundidos), mas que felizmente estão em fase de recuperação. As lesões são difíceis de explicar. É por isso que no Brasileirão, você precisa ter plantel. É uma competição longa, com expulsões e lesões’, destacou o treinador.

Além de Borges e Dimba, citados por Muricy, o comandante alvinegro ainda não pode contar com os laterais Crystian e Fucile, que também se recuperam de contusões. O zagueiro David Braz, que veio na troca que envolveu a chegada de Galhardo e a ida do volante Ibson para o Flamengo é outro que deve parar por um bom período. O defensor está em tratamento por conta de uma lesão muscular na coxa esquerda e deve demorar um mês para voltar aos gramados.

Fora todos esses atletas, o principal problema de Muricy Ramalho é não poder contar com o meia Paulo Henrique Ganso. Submetido a uma artroscopia no joelho direito, na última sexta-feira, o camisa 10 do Santos está em processo de fisioterapia e só deve retornar dentro do prazo de três a quatro semanas.