Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lesionado, Neto desfalca Guarani na final do Paulistão

Por AE

Campinas – O Guarani ganhou mais um problema para o segundo jogo da final do Campeonato Paulista. O zagueiro Neto teve uma contusão de grau 2 na parte posterior da coxa direita confirmada nesta terça-feira e está descartado para o segundo jogo contra o Santos, domingo, no Morumbi.

O jogador deixou o campo antes do intervalo, na partida de ida vencida pelos santistas, por 3 a 0. Coincidentemente, os três gols saíram apenas depois da saída do zagueiro para a entrada de André Leone. “Senti muita dor, deu um estalo na hora em que fui cortar a bola”, explicou.

Esta pode ter sido a despedida de Neto no clube campineiro. Isso porque a previsão de volta aos gramados é para quatro semanas e o próprio Santos tenta contratá-lo para o Brasileirão.

Sem contar com seu principal zagueiro, o técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão, deve recuar para a zaga Éwerton Páscoa, que atuou improvisado como volante. A vaga no meio-campo deve ser preenchida pelo volante Willian Favoni ou pelo meia Bruno Neves. Vadão já tinha outras baixas entre os titulares, como o lateral-direito Oziel, o meia Fernando Fumagalli e o volante Wellington Monteiro.

INGRESSOS – Os bilhetes para a decisão começaram a ser vendidos nesta manhã. Em Campinas, o movimento foi fraco e já se espera que menos de 50% dos mais de dez mil torcedores presentes no domingo compareçam ao segundo jogo. Para este novo jogo, a diretoria do Guarani colocou à disposição da torcida perto de 40 ônibus sem custo. Estes números sobraram de um total de 100 veículos reservados para o primeiro jogo, quando apenas 60 foram utilizados.

Os torcedores reclamaram muito da dificuldade para acomodar os veículos – carros e vans – nos arredores do Morumbi, uma vez que os estacionamentos estavam cobrando em média R$ 80.

O setor reservado à torcida de Campinas apresentou problemas com banheiros e alguns nem entraram no estádio porque não tinham ingresso, imaginando que poderiam comprá-lo nas bilheterias. Estas só disponibilizavam bilhetes para a torcida do Santos. Do total da renda, superior a R$ 1,8 milhão, sobrou ao Guarani a quantia de R$ 585.513,00, bem aquém do um milhão esperado pela diretoria.