Clique e assine a partir de 9,90/mês

Lesão e bebida levaram Breno a tocar fogo na própria casa

De volta ao São Paulo, zagueiro diz estar pronto para retomar a carreira, depois de cumprir mais de um ano de prisão na Alemanha

Por Da Redação - 15 Jan 2015, 13h17

“As chacotas não vão me entristecer. Podem brincar e fazer o que quiserem porque isso não vai me deixar triste nem com raiva de nada”

O zagueiro Breno concedeu nesta quinta-feira a sua primeira entrevista coletiva no São Paulo desde que retornou da Alemanha, onde passou dois anos e meio preso. O jogador de 25 anos sabia que seria perguntado sobre o incêndio que o levou à prisão quando atuava pelo Bayern de Munique e não fugiu do assunto. Segundo Breno, o fato de ter deixado o Brasil com apenas 17 anos prejudicou sua adaptação à Europa e o levou a cometer o erro de atear fogo na própria casa. “Saí do São Paulo muito jovem e encontrei outra cultura, um idioma muito difícil. Cheguei achando que jogaria no Bayern de Munique, mas só entrei em algumas partidas. Aí, fui emprestado para o Nurnberg e até tive uma sequência boa, mas sofri uma lesão e tive de operar o joelho. Depois de dez meses de tratamento, passei por outra cirurgia.”

Leia também:

De volta ao São Paulo, Breno ainda não tem data para voltar a jogar​

Continua após a publicidade

Breno deixará prisão e retornará ao São Paulo

Após 13 meses na prisão, Breno volta a trabalhar no Bayern

Alemanha: Breno é condenado a quase 4 anos de prisão

Os problemas no joelho afetaram também o psicológico de Breno, que admitiu ter bebido muito no dia do incêndio. “Tudo aquilo foi me deixando triste, parecia uma bola de neve. Até que, no dia do acidente, recebi a notícia de que operaria de novo. Bebi, fiquei inconsciente e aconteceu.”

Continua após a publicidade

Breno negou que uma crise com a mulher tenha contribuído no acidente. “Falaram até que o motivo foi um problema com a minha esposa, mas, pelo contrário, ela sempre me apoiou e esteve do meu lado com os meus filhos.” Tranquilo, Breno diz que já não se importa com os comentários sobre o fato. Nesta quinta, por exemplo, até achou graça quando ouviu de um jornalista que deveria manter distância de palitos de fósforo. “As chacotas não vão me entristecer. Podem brincar e fazer o que quiserem porque isso não vai me deixar triste nem com raiva de nada”, disse o atleta.

Breno trabalha agora para readquirir condicionamento físico. Com contrato com o São Paulo até 7 de outubro de 2015, trabalha intensamente no CT da Barra Funda para recuperar a forma perdida nos tempos em que cumpria pena. Semana passada, sofreu um estiramento muscular na coxa esquerda, mas acredita que estará à disposição do técnico Muricy Ramalho até o início do Campeonato Brasileiro. “Por mim, já estaria em campo hoje. O meu acidente aconteceu, errei e paguei por isso. A partir de agora, só quero viver coisas boas.”

Sua última partida oficial foi no dia 17 de abril de 2011, contra o Bayer Leverkusen, pelo Campeonato Alemão. Revelado no São Paulo, onde conquistou o Brasileirão de 2007, Breno foi vendido ao Bayern de Munique por 19 milhões de dólares.

Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais
Prejuízo após incêndio na casa foi de quase 4 milhões de reais VEJA

(Com Gazeta Press)

Publicidade