Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Leão nega necessidade de dar show e vê time adaptado às suas ordens

Por Da Redação 30 mar 2012, 10h00

A oitava vitória consecutiva, sequência que não ocorria no clube desde fevereiro de 2004, ocorreu sem show, em um 2 a 0 sobre o Catanduvense no qual o São Paulo passou mais da metade da partida sem conseguir escapar da marcação adversária. Emerson Leão, contudo, terminou com satisfação os três meses que definiu como necessários para buscar uma equipe ideal.

‘Não precisa dar espetáculo toda hora, mas unir espetáculo com boa vitória. Isso tem acontecido’, comemorou o treinador, que desde o início da temporada repete a chegada de abril como o mês no qual aceitaria ser cobrado. Abril começa no domingo, quando o Tricolor visita o Ituano. E os comandados já recebem elogios por serem obedientes.

O técnico faz graça com a análise de que o time corre demais por não ter um ‘pensador’ em campo. ‘Eu penso, pode deixar’, sorri. ‘Quanto mais correr, melhor. O time está jogando dentro de uma necessidade, um clima de preocupação com o que tem recebido de informação. Jogamos do lado deles, orientando ao máximo’, contou.Sob os gritos do chefe quase ao pé do ouvido mesmo durante as partidas, o São Paulo atingiu a primeira colocação do Campeonato Paulista e chegou à segunda fase da Copa do Brasil mesmo sob críticas, inclusive internas, por não ter eliminado o Independente de Tucuruí no primeiro jogo, em Belém.

Agora, a ordem é não se empolgar nem questionar o nível apresentado nos jogos. ‘Quando estávamos abaixo, e chegamos a ficar em sétimo lugar no Paulista, mantivemos a mesma calma e o mesmo trabalho. Não é agora que vamos mudar. Continuamos tranquilos, humildes e serenos’, falou Leão.

Continua após a publicidade
Publicidade