Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Leão libera faltas em Casemiro para testar raiva e elogia volante

Por Da Redação 15 nov 2011, 17h16

Durante o coletivo sob forte chuva, houve um momento em que Casemiro, depois de dividida, ficou no chão olhando para os lados com insatisfação por não ter sido marcada falta. Mas não reclamou. E Emerson Leão, que ignorou a infração de maneira proposital, o chamou para a roda dos titulares ao fim do treino só para enaltecer sua calma.

‘O Casemiro tomou três pancadas seguidas. Marquei uma falta e nas outras, não. Mostrei que são necessários os ímpetos da raiva, da garra, mas que não pode estourar na hora errada. Queria ver a sua reação’, explicou o chefe. ‘Pensei que ele ia explodir, mas não explodiu. Fui cumprimentá-lo na frente de todos.’

Após ouvir as palavras, Casemiro deixou o campo com um sorriso no rosto. Mais tarde, em entrevista ao site oficial, disse estar aprovando o comandante contratado para mexer com o brio de atletas como ele. ‘Estou conhecendo mais o Leão. É uma pessoa gente boa’, falou o camisa 8.

Titular incontestável do São Paulo no primeiro semestre, o meio-campista se valorizou ainda mais como campeão mundial sub-20 com a Seleção Brasileira, tanto que conseguiu o aumento salarial que desejava e renovou seu contrato. Mas passou a ter seu comportamento dentro de campo contestado e virou reserva na reta final de Adilson Batista.

Conhecido por saber lidar com jovens, e também estimular atletas aparentemente desestimulados, Leão tinha Casemiro como desafio ao ser contratado – até Juvenal Juvêncio considerou o jogador de 19 anos em situação ‘preocupante’.

O técnico só pôde relacioná-lo no último jogo, já que ele se recuperou de lesão muscular, e ainda nem o aproveitou em campo. Mas o atleta já sonha em retomar seu espaço.

‘Estou voltando aos poucos. Vamos ver se para quarta-feira dá para voltar 120%. Preciso mostrar dentro de campo que tenho condições e vou trabalhar forte para isso’, prometeu Casemiro, que chegou até a ser convocado por Mano Menezes para defender a Seleção Brasileira principal no Superclássico das Américas, contra a Argentina.

‘É importante esta valorização que tive. Vou voltar a brigar para ser um dos melhores volantes do Brasileiro. Mas quero também esta vaga na Libertadores. Largo mão de qualquer coisa por esta vaga’, completou o jogador, que participou de 38 partidas e marcou seis gols pelo time profissional do clube do Morumbi.

Continua após a publicidade
Publicidade