Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Lazaroni revela por que não convocou Neto em 90

Ex-treinador da seleção brasileira rebateu as reclamações do ídolo do Corinthians, que se sente injustiçado por não ter disputado o Mundial na Itália

Por da redação Atualizado em 15 dez 2016, 21h46 - Publicado em 15 dez 2016, 17h02

Vinte e seis anos se passaram, mas a mágoa persiste. Volta e meia, durante seus programas na Band, o ex-jogador e hoje comentarista Neto reclama de não ter sido convocado para a Copa do Mundo de 1990, ano em que viveu o auge de sua carreira ao conquistar o primeiro título brasileiro da história do Corinthians. O responsável por sua ausência, o técnico Sebastião Lazaroni, manteve sua opinião: para ele, Neto não apresentou “total capacidade” para entrar na lista.

“Além das qualidades técnicas, o jogador precisa de um lastro, um grande momento e o histórico, pois se trata da seleção. Pode-se optar pela juventude, baseado no que o atleta representa.  Até o caminho dos selecionados, o Neto não apresentou total capacidade do seu trabalho para servir a seleção brasileira. O treinador só pode convocar 23 e deixamos bons de fora”, afirmou Lazaroni, em entrevista ao programa Aqui com Benja!, da FOX Sports, que irá ao ar neste sábado. 

Lazaroni ainda ressaltou que o grande momento de Neto aconteceu no segundo semestre, com a conquista do Brasileirão, meses depois da Copa na Itália, e que o meia não teve sequência na seleção com nenhum treinador.

“Se for pra ser sincero, fiel e verdadeiro, ele teve um grande desempenho, o maior da carreira no Corinthians, no 2°semestre pós-mundial. Tudo bem, o Lazaroni errou. Então, por que com o Carlos Alberto Silva, que era treinador no Guarani, ele não foi convocado, só para Olimpíada? Por que ele é chamado com o Falcão e não perdura? Aí vêm as Copas de 94 e 98, não consta e só eu errei? Infelizmente virou bandeira, Lazaroni o técnico do Neto injustiçado de 90”, desabafou.

A seleção brasileira foi eliminada da Copa de 90 nas oitavas de final, com derrota para a Argentina, por 1 a 0. O treinador admitiu que aquela campanha marcou negativamente sua carreira. “Paguei uma conta grande pela Copa de 1990. Muitas vezes chorei sozinho”, revelou. Os meio-campistas convocados por ele na ocasião foram Bismarck, Valdo, Silas e Tita.

Careca, do Brasil e Maradona, da Argentina durante o jogo entre Brasil 0 x 1 Argentina, partida válida pela Copa do Mundo de Futebol, no Estádio Delle Alpi
Careca e  Maradona, durante o jogo entre Brasil 0 x 1 Argentina, em Turim Pedro Martinelli/VEJA/VEJA

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês