Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Landis é condenado em escândalo de doping no ciclismo

Por Da Redação 10 nov 2011, 12h20

Por AE-AP

Paris – Um tribunal francês condenou nesta quinta-feira o ex-ciclista norte-americano Floyd Landis a 12 meses de prisão, com direito a sursis (sem a necessidade de que ele cumpra a pena na cadeia), pela sua participação em um escândalo de doping no qual um laboratório francês teve os seus computadores invadidos por hackers.

Landis, que perdeu o seu título da Volta da França de 2006 por uso de doping, foi sentenciado pelo tribunal de Nanterre, que fica a oeste de Paris. A pena foi seis meses menor do que a pedida pelo promotor público do caso. Com a punição, o ex-ciclista passa a ficar em observação durante o período da pena, que fica “em suspenso” se ele não voltar a cometer alguma infração até que ela seja totalmente cumprida.

O laboratório francês, credenciado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) e que fica na cidade de Chatenay-Malabry, ao sul de Paris, descobriu altas quantidades de testosterona sintética nas amostras de sangue de Landis após a Volta da França de 2006.

Os procuradores afirmaram que Landis e seu treinador, Arnie Baker, articularam um esquema para invadir os computadores do laboratório francês e obter documentos que serviriam para defender o ciclista das acusações de doping. Pelo seu envolvimento no caso, Baker recebeu a mesma pena de Landis nesta quinta-feira.

No mês passado, Landis disse não ter nenhuma informação sobre o caso, exceto por meio de notícias veiculadas pela imprensa, e garantiu que nunca foi convocado ou sequer contatado pelo tribunal francês, embora a corte local diga o contrário. Tanto que nem compareceu ao julgamento desta quinta-feira. Ele também negou qualquer envolvimento com o caso de espionagem.

O tribunal que condenou o norte-americano alega que um famoso vírus de computadores, chamado de Cavalo de Troia, foi usado por hackers no final de 2006 para extrair informações sobre um arquivo que continha o nome Landis, meses depois de o ciclista testar positivo para uso de doping.

Na época, Landis foi suspenso por dois anos e alegou que o sistema de controle antidoping utilizado tinha falhas, mas acabou não tendo êxito nos apelos que fez em relação ao seu caso. No ano passado, porém, ele confessou ter usado substâncias proibidas para melhorar seu rendimento. E, algum tempo depois, anunciou o fim da carreira.

Continua após a publicidade
Publicidade