Clique e assine a partir de 9,90/mês

Kyrgios detona Djokovic: ‘Tem uma obsessão doentia por ser amado’

Australiano escancarou sua rivalidade com o sérvio, que, segundo ele, faz de tudo para ser como Roger Federer, mas "jamais será o maior"

Por Da redação - 15 Maio 2019, 17h12

O australiano Nick Kyrgios, um dos atletas mais talentosos (e controversos) do tênis, voltou a ganhar as manchetes nesta quarta-feira, 15, por sua língua ferina. Em entrevista ao jornalista Ben Rothenberg, do jornal americano New York Times, o Kyrgios não poupou críticas ao número 1 do mundo, Novak Djokovic.

Segundo Kyrgios, o sérvio tem um comportamento que soa falso e se esforça para ser amado como o suíço Roger Federer. “Sinto que ele tem uma obsessão doentia por ser amado. Ele quer ser como o Roger. Eu não ligo, mas ele quer ser tão amado que eu não consigo aguentar. As celebrações dele são tão constrangedoras”, atacou Kyrgios.

Kyrgios acredita que o sérvio passará Federer em títulos de Grand Slam (o suíço é o recordista, com 20 troféus contra 17 de Rafael Nadal e 15 de Djokovic), mas jamais superará os concorrentes. “Ele é um grande campeão, um dos melhores. Mas estamos falando de um cara que deixou o Aberto da Austrália porque estava muito calor. Não importa quantos títulos ele ganhe, ele nunca será o maior de todos os tempos.”

Kyrgios lembrou que já venceu Djokovic e garantiu que, se repetir a dose, comemorará de forma provocativa. “Já joguei contra ele duas vezes e, me desculpe, se você não pode me ganhar, você não pode ser o maior de todos. Com o pouco que treino… é zero perto dele. Ele sempre diz o que ele parece precisar dizer, nunca sua real opinião. Honestamente, se eu ganhar, eu imitarei a celebração dele, será hilário”, completou. Aos 24 anos, Kyrgios é o 36º colocado do ranking da ATP.

Continua após a publicidade
Publicidade