Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Kaká já reconhece que pode ver a Copa só como torcedor

Meia do Milan tem chances remotas de ser lembrado na lista dos 23 de Felipão

Depois de amargar um longo período encostado no Real Madrid, Kaká parece nome descartado para a Copa do Mundo. Hoje, o jogador até é titular do Milan, mas a equipe em que ele viveu o melhor momento da carreira passa por sérios apuros, numa das piores temporadas da sua história recente, e a situação não ajuda em nada o meia. Em entrevista em vídeo divulgada neste sábado pelo site do jornal Corriere Della Sera, Kaká pareceu pessimista com a chance de ser convocado, mas avisou que ficará na torcida pelo Brasil ainda que não seja chamado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. “Espero estar no grupo, mas se não estiver vou torcer pelo Brasil da mesma forma”, disse o jogador. Prestes a completar 300 jogos com a camisa do Milan, Kaká também se disse confortável no retorno à Itália e falou da sua readaptação ao futebol do país.

Leia também:

Seedorf: ‘Kaká tem grande chance de jogar na Copa’

Galliani: ‘Kaká é uma lenda. Está no coração de todos’�

Felipão viaja à Itália para observar Kaká em clássico local

“É o mesmo futebol de antes. Muito tático, como tanto prima a escola italiana. Encontrei mais ou menos a mesma coisa de antes”, comentou. “Eu me dei sempre bem aqui, mesmo depois de quatro anos na Espanha, que tem um futebol mais jogado, menos preocupado com a parte tática. Voltar para esse futebol para mim tem sido uma coisa positiva.” Sobre a experiência de ser treinado por um ex-companheiro, Kaká disse confiar em Seedorf. “É uma coisa boa, positiva. Tem muita coisa para fazer, ele pode ajudar muito este Milan”, disse o brasileiro. Na edição impressa do Corriere Della Sera, Kaká afirmou que só sai da Itália para jogar num novo mercado. “No futuro eu gostaria de jogar nos Estados Unidos. No fim da temporada vou sentar com o Adriano Galliani (vice de futebol do Milan) e conversar para entender as ideias dele e do clube. Se eu tiver de sair, será para os EUA.”

(Com Estadão Conteúdo)