Clique e assine com até 92% de desconto

Justiça obriga Fifa a divulgar documentos do caso ISL

Por Da Redação 27 dez 2011, 16h13

Por AE-AP

Zurique – A Justiça suíça determinou nesta terça-feira que a Fifa divulgue os documentos do polêmico caso ISL, que envolveria o pagamento de propina a dirigentes da entidade pela empresa de marketing esportivo que faliu há 10 anos. Segundo a rede britânica BBC, os brasileiros Ricardo Teixeira e João Havelange estariam entre os acusados de corrupção.

Ainda há a possibilidade de recurso para impedir a divulgação dos documentos, mas a Fifa já avisou que concorda com a decisão judicial anunciada nesta terça-feira. Mesmo porque, o presidente da entidade, Joseph Blatter, tem prometido revelar os detalhes do caso ISL desde outubro, quando lançou uma ofensiva contra a corrupção no futebol.

O caso ISL foi julgado pela Justiça suíça em junho do ano passado, mas os acusados teriam chegado a um acordo no qual devolveriam o dinheiro recebido da ISL e teriam seus nomes ocultados – segundo a BBC, os dois dirigentes envolvidos seriam justamente Ricardo Teixeira, presidente da CBF, e João Havelange, ex-presidente da Fifa.

Blatter queria divulgar os documentos do caso ISL no dia 17 de dezembro, durante a reunião da Fifa no Japão. Mas uma ação judicial de um dos envolvidos impediu a publicação. Agora, porém, a Justiça suíça liberou a entidade para revelar os nomes de quem teria recebido propina da agência que negociava direitos de TV da Copa do Mundo.

Para a liberação dos documentos, a Fifa disse ainda esperar receber os detalhes da decisão judicial desta terça-feira, que não foram completamente divulgados pela Justiça suíça. Mas, se ninguém entrar com recurso em 30 dias, o polêmico caso ISL deverá finalmente se tornar público, podendo comprometer os dois dirigentes brasileiros.

Continua após a publicidade
Publicidade