Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça avaliza força policial a tirar Taça das Bolinhas do Tricolor

A Justiça do Rio de Janeiro determinou por meio de um despacho, emitido nesta quinta-feira pela 50Vara Cível do Estado, que o São Paulo será obrigado a devolver a famosa Taça das Bolinhas à Caixa Econômica Federal. O mandado em questão autoriza a utilização de força policial para que o troféu seja retirado das dependências do Tricolor e levado de volta para o seu novo destino.

‘Defiro o pedido formulado para que se proceda a busca e apreensão em qualquer das dependências do clube, incluído (sic) qualquer sala ocupado (sic) por diretor ou até mesmo da presidente (sic) da agremiação, podendo utilizar de força policial, se necessário, para fins de apreender e depositar junto à Caixa Econômica Federal o mencionado troféu’, diz parte do despacho deferido pela Justiça do Rio de Janeiro.

Criada pela CBF para homenagear os clubes campeões do Brasileiro, a Taça das Bolinhas seria entregue definitivamente ao primeiro time que conquistasse o campeonato por cinco vezes ou em três consecutivas. No entanto, a posse do troféu foi envolvida em uma grande polêmica depois do título nacional do Flamengo em 1992.

Os rubro-negros clamam na entidade máxima do futebol brasileiro o primeiro pentacampeonato brasileiro, somando a conquista do título de 1987. A disputa do torneio deste ano levou a um quadrangular final, que seria disputado entre Flamengo, Internacional, Guarani e Sport. Entretanto, os gaúchos e cariocas se recusaram a brigar pela unificação da competição e mantiveram o Leão da Ilha como campeão legitimado do torneio.

Envolto neste conturbado panorama, o São Paulo foi declarado pela CBF o legítimo dono da Taça das Bolinhas ao ser pentacampeão em 2008. A decisão da entidade gerou a revolta do Flamengo, que passou a clamar a sua posse na Justiça desde então. A intensa disputa entre os clubes nos bastidores fez com que uma possível duplicação da taça fosse cogitada pelos envolvidos, mas nenhuma decisão oficial foi tomada pelas partes.

Confira na íntegra o despacho emitido pela Justiça do Rio de Janeiro nesta quinta-feira:

A presente medida cautelar tem seu curso impedido por ações atribuído (sic) aos administradores do São Paulo Futebol Clube, que consoante certidão de fls. 289, 300 e 302/304, os quais vêm utilizando expedientes escusos e com a nítida intensão (sic) de impedir o cumprimento de decisão judicial. Assim, o quadro fático indicado nos autos, acrescidos dos documentos que o instruem, conduz ao forçoso reconhecimento validade da intimação do São Paulo Futebol Clube e o descumprimento do comando de depositar o mencionado troféu, conhecido comTaça das Bolinhasjunto à CEF. Além disso, a oposição injustificada ao cumprimento de decisão judicial a qual, foi confirmada pela Egrégia 18Câmara Cível, traduz manifesta violação do disposto no art. 17, incisos IV e V do Código de Processo Civil. Assim defiro o pedido formulado para que se proceda a busca e apreensão em qualquer das dependências do clube, incluído (sic) qualquer sala ocupado por diretor ou até mesmo da presidente (sic) da agremiação, podendo utilizar de força policial, se necessário, para fins de apreender e depositar junto à Caixa Econômica Federal o mencionado troféu. Expeça-se carta precatória. A Carta poderá ser entregue em mãos dos patronos do autor para que diligenciem com o necessário para o cumprimento da decisão judicial.