Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Júlio César tenta explicar falhas defensivas em sua volta ao Timão

Por Da Redação 1 jan 2012, 13h32

Recuperado de lesão, Júlio César foi saudado como astro desde o aquecimento no Pacaembu em seu retorno à meta corintiana. Mas o empate por 2 a 2 com o Ceará não trouxe só aspectos positivos. O goleiro sofreu com desatenções e falhas inclusive dele e, embora aprovado por Tite, teve que se explicar pelos gols que sofreu.

‘Faltou uma sintonia fina maior. Mas ele fez duas boas defesas, mostrou que tinha condições de jogar’, enalteceu o treinador, lembrando da atuação decisiva do jogador para segurar a pressão cearense. Só não foi suficiente em bate-rebate no qual ele acabou espalmando nos pés de Rudnei, que colocou nas redes para empatar aos 40 minutos do segundo tempo.

‘No segundo gol, vacilamos por não tirar a bola no segundo pau. Não pode o Edmilson [zagueiro do Ceará] ficar sozinho para colocar a bola na área’, reclamou Júlio César, novamente isento de culpa na opinião do chefe. ‘No momento da bola parada, não é só zagueiro, todos têm uma função definida de marcação’, disse Tite.

O treinador ainda reforçou que não se pode cobrar de Júlio César o mesmo rendimento que tinha antes da lesão. ‘Não se retoma o ritmo sem uma situação normal. Sempre que você volta, perde-se um pouco da coordenação de movimento e da comunicação. Futebol é assim. Esse tal de entrosamento que falo desperta um pouco. Mas é do contexto. É nosso.’

O goleiro, por sua vez, demonstra irritação com as falhas de todos. Mas evita polemizar. ‘Estamos jogando bem, nos falta matar o jogo mais cedo para não ficarmos sofrendo toda hora com o perigo de empate. Temos que acordar em algumas coisas, mas não podemos expô-las. É internamente’, indicou Júlio César.

Continua após a publicidade
Publicidade