Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Júlio César diz que ‘fantasma’ do Tolima não incomoda

Por AE

São Paulo – Ainda sem ter faturado um título da Libertadores, o Corinthians encara enorme expectativa da sua torcida para enfim ser campeão continental em 2012. E a pressão aumentou após o decepcionante desempenho no ano passado, quando a equipe foi eliminada na fase preliminar pelo Tolima. O goleiro vJúlio César garante, porém, que a lembrança do vexame de 2011 não incomoda a equipe.

“Não tem como apagar o que ficou no passado. Não pensamos mais nisso, para os torcedores a tiração de sarro ficou para trás. O time é muito maduro, já conquistou um título muito importante [o Campeonato Brasileiro de 2011]”, disse o goleiro, quando faltam menos de duas semanas para a estreia da equipe na Libertadores.

Para Júlio César, a situação que o Corinthians vai enfrentar nesta edição do torneio é bem diferente da vivenciada no ano passado. “As semelhanças com o time do ano passado são poucas. Tem a pressão pra se classificar, mas são seis jogos. Ano passado foram dois jogos, o segundo fora, não ganhamos em casa. O grupo está mais maduro, sabe onde quer chegar. Não foram só 15 dias de treinamento, é totalmente diferente na Libertadores do ano passado”.

Além de viver a ansiedade para voltar a participar do torneio continental, o Corinthians conta com um elenco inchado e nem todos os jogadores estarão na lista de inscritos para a competição, que será definida pelo técnico Tite neste semana. Assim, Júlio César reconheceu que os próximos dias serão de grande expectativa no grupo corintiano.

A equipe estreia na Libertadores no dia 15 de fevereiro, na Venezuela, contra o Deportivo Táchira. “É uma semana de muita ansiedade, não só para os reservas, mas para todos. É muito importante participar dessa competição, poder entrar para a história”, afirmou Júlio César.

Titular absoluto, o goleiro tem presença garantida na lista de inscritos da Libertadores, o que não acontece com todos os jogadores do Corinthians. Mas o goleiro não crê que aqueles que ficarem fora do torneio vão se desmotivar. “Tem que se motivar, o jogador precisa se motivar independente da competição que joga”, declarou.

Júlio César lembrou, inclusive, que em 2006 foi inscrito para a primeira fase da Libertadores, mas foi retirado da relação para o mata-mata. “Em 2006, estava na primeira fase e saí dos 25 inscritos na segunda. Quem não estiver na lista também é muito importante”, disse.