Clique e assine com até 92% de desconto

Jon Jones detona Dana White: ‘Não vou fingir que somos amigos’

Ex-campeão, que neste sábado tentará retomar cinturão no UFC 214 contra Cormier, se disse "abandonado" pelo chefe nos momentos de dificuldade

Por Da redação 27 jul 2017, 11h59

A relação entre o presidente do UFC Dana White e vários de seus funcionários não anda nada boa. Nesta quarta-feira, o ex-campeão Jon Jones, que no sábado tentará reconquistar o cinturão peso-meio-pesado no UFC 214, escancarou sua mágoa com o chefe que, segundo ele, o “abandonou” nos momentos de maior dificuldade – citando suas punições por envolvimento com doping.

“Eu acho que, quando você faz dinheiro pra companhia, é uma atração de pay per view e coloca dinheiro no bolso dele, você significa muito para ele. Mas no momento que você não faz essas coisas, você não significa mais nada e ele deixou isso claro. Eu me senti completamente abandonado por ele, numa situação em que eu mais precisava dele. Sinto que ele mostrou quem ele realmente é, e agora não tenho nenhuma vontade de fingir que ele se importa comigo ou que somos amigos”, atacou Jones, em entrevista ao jornal LA Times.

Jon Jones, então maior estrela do UFC, entrou em declínio nos últimos anos após ser flagrado duas vezes em exames antidoping (um deles por cocaína) e se envolver em um acidente de trânsito com uma mulher grávida. Ele considera que Dana não o apoiou como deveria e por isso cortou relações com o chefe. “Dana White me procurou em pelo menos quatro ocasiões, e eu não respondi nenhuma de suas ligações ou mensagens de texto. Esta é a razão pela qual não temos nos falado.”

  • Para fechar sua participação na luta principal deste sábado, contra o atual campeão Daniel Cormier, Jones negociou apenas como o novo proprietário majoritário do Ultimate, Ari Emanuel, diretor do grupo WME/IMG, que comprou o UFC no ano passado. “A não ser que Dana tenha algo realmente urgente para falar, eu prefiro conversar com o Ari Emanuel. Neste momento, vejo Ari como meu patrão e Dana mais como o rosto e voz do UFC.”

    Este será o segundo e aguardado duelo entre Jones e Cormier. Em janeiro de 2015, Jones venceu a rival, mas dias depois foi pego no doping pelo uso de cocaína e suspenso por seis meses por causa de um acidente de trânsito do qual fugiu sem prestar socorro às vítimas. Ele teve seu título dos meio-pesados cassado e abriu o caminho para Cormier se consolidar como campeão. Os dois deveriam se reencontrar no badalado UFC 200, mas novamente Jones foi suspenso por doping

    Além da luta principal, haverá mais duas disputas de cinturão no evento deste sábado, em Anaheim, ambas envolvendo brasileiros. Demian Maia lutará pelo cinturão meio médio contra Tyron Woodley e Cris Cyborg disputará o inédito cinturão peso-pena feminino contra Tonya Evinger.

    UFC 214 – 29 de julho, em Anaheim, nos Estados Unidos

    Card principal:

    Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Jon Jones

    Peso-meio-médio: Tyron Woodley x Demian Maia

    Peso-pena: Cris Cyborg x Tonya Evinger

    Continua após a publicidade

    Peso-meio-médio: Robbie Lawler x Donald Cerrone

    Peso-meio-pesado: Jimi Manuwa x Volkan Oezdemir

    Card preliminar:

    Peso-pena: Ricardo Lamas x Jason Knight

    Peso-casado (63,5kg): Aljamain Sterling x Renan Barão

    Peso-pena: Renato Moicano x Brian Ortega

    Peso-pena: Andre Fili x Calvin Kattar

    peso-palha: Kailin Curran x Alexandra Albu

    Peso-mosca: Eric Shelton x Jarred Brooks

    Peso-leve: Josh Burkman x Drew Dober

    Continua após a publicidade
    Publicidade