Clique e assine a partir de 9,90/mês

Jogo na Bulgária é paralisado por ofensas racistas e saudações nazistas

Jogadores da seleção inglesa, que venceu a partida por 6 a 0, foram vítimas de preconceito na partida válida pelas eliminatórias da Euro-2020

Por Da redação - Atualizado em 14 Oct 2019, 18h40 - Publicado em 14 Oct 2019, 17h37

Mais uma vez, o futebol europeu registrou cenas de preconceito nas arquibancadas nesta segunda-feira, 14. A partida entre Bulgária e Inglaterra, em Sófia, válida pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2020, foi paralisada duas vezes devido a ofensas racistas e saudações nazistas por parte da torcida búlgara. A equipe visitante venceu o jogo por 6 a 0, com gols de Marcus Rashford, Ross Barkley (dois), Raheem Sterling (dois) e Harry Kane.

Ainda no primeiro tempo, quando a Inglaterra já vencia com facilidade, o zagueiro Tyrone Mings, da equipe visitante, ouviu imitações de macaco e ofensas racistas, e avisou seu treinador Gareth Southgate, que reclamou com o quarto árbitro. Foi cumprido, então, o protocolo da Uefa, com uma advertência pelo sistema de som do estádio e, em seguida, a paralisação do jogo. Uma terceira advertência resultaria no cancelamento do jogo.

Com a bola parada, a transmissão mostrou torcedores búlgaros realizando saudações nazistas, outros imitando macacos e com roupas e mensagens de violência, como “Sem respeito” – em resposta ao lema “respeito” que a Uefa estampa na camisa dos atletas e em várias partes do estádio. Além de Mings, outros atletas negros, como Sterling e Rashford, foram ofendidos durante o jogo.

Atos racistas têm sido recorrentes em jogos no futebol europeu nesta temporada, especialmente na Itália, onde na semana passada a Atalanta foi multada por ofensas de sua torcida ao brasileiro Dalbert, da Fiorentina. O atacante belga da Inter de Milão, Romelu Lukaku, e o meia marfinense do Milan, Franck Kessié, também foram vítimas de racismo na Série A.

Publicidade