Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Jogadores do Avaí garantem clima de guerra para as próximas rodadas

Por Da Redação 12 out 2011, 18h35

Os aplausos de reconhecimento do torcedor do Avaí após o empate por 2 a 2 diante do Atlético-GO tirou lágrimas de alguns jogadores do time catarinense, que alcançou os 26 pontos e começa a ver a luz no fim do túnel na luta contra o rebaixamento.

Ainda na penúltima posição, mas a apenas quatro pontos do Cruzeiro que, provisoriamente, é a primeira equipe fora da degola, a equipe já pensa nos próximos desafios diante do Inter, em Porto Alegre, e do Botafogo, novamente na Ressacada.

O atacante Rafael Coelho, um dos mais motivados pela força da arquibancada, reconheceu a importância do torcedor e garantiu foco para as próximas partidas: ‘A equipe jogou bem, ficamos com a posse de bola na maior parte do jogo. Tivemos um apagão, sofremos a virada, e complicou. Mas agora vamos que nada acabou ainda e não vai ser todo o jogo que será fácil. Tudo na vida é uma batalha. Essas coisas acontecem, é futebol. Agora é levantar a cabeça’.

Com investidas pelo meio e inteligência tática, Lincoln armou boa parte das jogadas ofensivas do Avaí contra o Atlético-GO e, após a partida, prometeu se dedicar inteiramente na reta final do Brasileirão para que a equipe catarinense possa se manter na elite.

‘Vocês viram o que foi essa partida a nível emocional. Infelizmente tomamos gol, mas eu digo sempre: a dificuldade vai ser até o final. Valeu a recuperação dentro da partida. A guerra termina só mais tarde, não é agora não’, disparou o meio-campista de camisa 99.

Continua após a publicidade

Publicidade