Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Jogadores da Portuguesa se juntam à torcida e pedem: ‘Fica, Jorginho’

Por Da Redação 10 nov 2011, 06h37

Após a confirmação do título da Série B, na terça-feira, Jorginho prometeu decidir no máximo até sexta-feira se permanece na Portuguesa. Valorizado após a boa campanha, ele está na pauta de grandes clubes da primeira divisão nacional e tem possibilidade de ganhar salário bem maior se trocar de time. Sabendo disso, os jogadores se juntam à torcida e pedem que o técnico fique no Canindé.

‘O Jorginho é um grande treinador, grande profissional e grande ser humano. Seria muito bom se ele ficasse’, opina o meia Edno, um dos destaques da equipe rubro-verde, que está emprestado pelo Corinthians até o fim do Paulistão-2012.

O volante Guilherme, revelação das categorias de base do clube, também deseja que o técnico que o apontou com futuro titular da Seleção Brasileira dê sequência ao trabalho que iniciou em fevereiro. ‘Acho importante que ele permaneça. Quem resolve é a diretoria, mas com certeza eu gostaria que ele ficasse, é um cara nota mil’, argumentou.O meia Boquita, outro que está emprestado pelo Corinthians até o fim do Campeonato Paulista, tem opinião idêntica. ‘Esse título é muito importante para a gente e principalmente para o Jorginho, que teve participação enorme nisso. Como a torcida pediu, a gente apoia. Vai ser muito bom se ele continuar para ajudar a gente ano que vem’, pontuou.

A diretoria da Lusa promete se esforçar para manter o treinador, que pede aumento salarial e boas condições para não sofrer nos torneios da próxima temporada. Os dirigentes garantem que o comandante terá todo o respaldo necessário para dar sequência ao trabalho, mas não sabem se poderão competir com propostas maiores em termos financeiros.

Apesar de se dizerem tranquilos em relação aos boatos envolvendo São Paulo (que contratou Leão apenas até o fim do ano) e Palmeiras (que vive grande crise com Felipão), os dirigentes lusitanos sabem que Grêmio e Cruzeiro observam Jorginho com olhos de cobiça.

Um dos trunfos da Portuguesa pode ser a família do técnico, que vive em São Paulo. A mãe do treinador sofre do Mal de Alzheimer e provavelmente não teria condições de encarar uma mudança de cidade. Jorginho, muito apegado aos parentes, pode optar por permanecer perto dela.

Continua após a publicidade
Publicidade