Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jô segue caminho de Ramires e Alex Teixeira e acerta com clube chinês

O atacante, ex-Corinthians e Atlético-MG, é o terceiro brasileiro a ir para o Jiangsu Suning

O Jiangsu Suning entrou de vez no rol dos clubes chineses que estão importando jogadores brasileiros. Após fechar com Ramires e Alex Teixeira, o time da cidade de Nanquim anunciou nesta sexta-feira a contratação do atacante Jô, que estava no Al Shabab, dos Emirados Árabes. Ainda não foram revelados os valores do negócio que seduziu o ex-jogador do Corinthians e Atlético-MG.

O Jiangsu não tem poupado cifras para concretizar suas negociações. Para levar Alex Teixeira, principal destaque do Shakhtar, o dinheiro desembolsado foi de 50 milhões de euros – até agora a maior transação do mercado de futebol da China. Por Ramires, o Jiangu pagou ao Chelsea 28 milhões de euros.

A imprensa inglesa também afirma que o clube inglês rejeitou uma oferta do Jiangsu por outro brasileiro: o meia Oscar, que foi sondado pelos chineses para sair do Chelsea pelo valor de transferência de 75 milhões de euros – o que seria a contratação mais cara do futebol chinês, passando o brasileiro Alex Teixeira e o colombiano Jackson Martínez, contratado pelo Guangzhou Evergrande por 42 milhões de euros.

Carreira – Jô, relevado pelo Corinthians, é o jogador mais novo a jogar pelos profissionais na história da equipe paulista, com 16 anos na data de sua estreia, em 2003. Na Europa, passou por CSKA Moscou, Manchester City, Everton e Galatasaray. Em 2011 foi para o Internacional-RS e, um ano depois, foi para o Atlético Mineiro, onde teve boa participação no título da Libertadores, em 2013, que lhe garantiu uma vaga à Copa do Mundo de 2014, no Brasil, como reserva de Fred.

Com a humilhante derrota para a Alemanha por 7 a 1, Jô teve, a partir daí, o pior retrospecto da sua carreira e chegou a completar um ano sem fazer um único gol com a camisa do Atlético-MG. Em julho de 2015, foi vendido para o Al Shabab.

Jô comemora o segundo gol sobre o México, pela Copa das Confederações em Fortaleza Jô comemora o segundo gol sobre o México, pela Copa das Confederações em Fortaleza

Jô comemora o segundo gol sobre o México, pela Copa das Confederações em Fortaleza (/)

Leia também:

‘Reis’ brasileiros na Ásia garantem que jogar na China vale a pena

Santos acerta venda de Geuvânio – para clube chinês, claro

Luxemburgo: ‘China não é barco furado, é transatlântico’

(Com Gazeta Press)