Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jérôme Valcke se irrita com denúncia de duplo salário

Secretário-geral da Fifa disse, após vistoria na Arena da Baixada, que tudo estava dentro das normas

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, negou nesta terça-feira que tenha ocorrido algum tipo de irregularidade em receber 100.000 dólares (cerca de 223.000 reais) por um contrato para ajudar a CBF a montar um projeto para sediar a Copa do Mundo no Brasil, em 2007, em um período em que ele esteve fora da Fifa. Visivelmente irritado, Valcke disse que o assunto “era passado” e que tudo estava dentro das normas. “Todos os contratos foram rescindidos dentro do prazo e não tem porque ser questionado por coisas do passado. Recebi da Fifa dentro do que prevê a legislação de trabalho suíça, como acontece em todos os lugares, como um aviso prévio”, disse após realizar vistoria na Arena da Baixada, em Curitiba.

Leia também:

Valcke: Itaquerão ficará pronto ‘no último minuto’, sem teste

Em 2007, Valcke foi pago por Fifa e CBF ao mesmo tempo

Arena Pantanal tem seu jogo inaugural adiado. Pela 6ª vez

Taça da Copa chega ao Brasil para turnê de 41 dias

Sobre a Arena da Baixada, Valcke cobrou maior rapidez da diretoria nas conclusões das obras e destacou a necessidade da colocação de mais 27.000 cadeiras, estruturas temporárias e também a proteção para o gramado. Além disso, ele abriu as datas de 14 de maio para a realização de mais um evento-teste e, se for necessário, outro antes do dia 21, data limite para o estádio passar para a coordenação da Fifa. “Não falta pouca coisa, ainda são 27.000 assentos a serem instalados, estamos vendendo ingressos para as pessoas verem os jogos sentadas, eles estão sendo vendidos com planejamento”, comentou.

Leia também:

Valcke visita os estádios mais atrasados, em SP e Curitiba

‘Não estamos totalmente prontos’, diz Valcke sobre a Copa

No 1º de abril, relembre as grandes mentiras sobre a Copa

Fifa teme que erros do Brasil prejudiquem próximas Copas

Questionado sobre aspectos de limpeza, pintura e outros acabamentos, Valcke disse que o mais importante será finalizar outras partes. “Dia 14, (data do evento-teste) o mais importante será atender a mídia, os jogadores, os torcedores e a arbitragem”, disse. O secretário também ressaltou a necessidade de estar com toda a comunicação e tecnologia perfeita para que a Copa chegue ao mundo todo.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Valcke visitou a Arena da Baixada acompanhado do governador do Pará, Beto Richa, do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do presidente do Atlético Paranaense (dono do estádio), Mário Celso Petraglia, além de representantes do Comitê Organizador Local (COL), entre eles o ex-jogador Ronaldo, e autoridades locais. Sobre o evento-teste do dia 14 de maio, Petraglia disse que ainda não há nada definido. “Não temos ainda os clubes que irão participar do evento, pois tivemos uma reunião hoje sobre o assunto. Assim que tivermos essa informação, vamos passar”, disse.

(Com Estadão Conteúdo)