Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Jajá tenta esquecer afastamento para se recuperar no Internacional

Por Da Redação - 27 maio 2012, 12h27

Afastado pela diretoria do Internacional por indisciplina, o meia Jajá quebrou o silêncio neste domingo e lamentou que sua atitude tenha interrompido o bom ritmo que vinha sendo mantido no clube. Mesmo desanimado com o ocorrido, o atleta declarou que vai esquecer o incidente e trabalhar forte para retomar o seu lugar no time do técnico Dorival Júnior.

Jajá foi afastado junto com o atacante Jô após a eliminação do Internacional na Copa Libertadores da América. O time havia perdido a vaga nas quartas de final para o Fluminense, no Engenhão, e se concentrava no Rio de Janeiro antes de retornar para Porto Alegre, quando a dupla foi flagrada em uma festa na cidade. A atitude determinou a dispensa do centroavante e deixou o armador treinando em separado desde então.

‘Quando ocorre uma situação desagradável como esta, o melhor a se fazer é refletir sobre seus atos. E foi o que fiz. Passei as duas últimas semanas me dedicando aos treinamentos e pensando muito sobre o meu deslize. Foi um erro que não se repetirá. Eu vinha em um ritmo muito bom e bem próximo da minha forma física ideal. Infelizmente, tive esse bom momento ofuscado por uma atitude que não foi correta com os meus companheiros de equipe, comissão técnica e diretoria’, explicou o jogador colorado.

Autor de dois gols nos 14 jogos que esteve em campo pelo Internacional, o meia ganhou o apoio do torcedor gaúcho após se mostrar um dos grandes garçons da equipe. O atleta foi responsável por sete assistências e deixou a comissão técnica entusiasmada com o seu desempenho durante o Estadual. Agora, o atleta precisará convencer Dorival Júnior de que está preparado para retornar ao clube após o afastamento do elenco principal.

Publicidade

‘O maior castigo que um jogador pode ter é ficar sem jogar. Quando acontece alguma contusão ou suspensão, isso é inevitável. Mas, nesse caso, tive uma atitude que me privou de fazer o que mais gosto, que é jogar futebol. Nessas horas, é importante ter a cabeça no lugar e manter a tranquilidade. Fiquei triste pelo ocorrido, mas não posso me deixar abater mais por isso. Vou continuar trabalhando para recuperar a confiança de todos aqui dentro do clube, pois sei que a da torcida eu tenho’, finalizou.

Publicidade