Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Itaquerão teve 282 cadeiras quebradas no jogo de terça

Torcedores argentinos depredaram estádio em jogo contra a Suíça

O Corinthians divulgou nesta quinta-feira o resultado da vistoria realizada no Itaquerão para determinar o prejuízo causado pela torcida argentina na terça-feira, quando a seleção do país venceu a Suíça na prorrogação, pelas oitavas de final da Copa. Segundo o balanço, 282 cadeiras foram danificadas durante o confronto. O clube já havia antecipado que os problemas foram rotineiros e que podem ocorrer em qualquer jogo no estádio. O clube ainda garantiu que “todas as cadeiras precisarão ser substituídas para a semifinal, na quarta, dia 9”.

Leia também:

Torcedor violento argentino comemora entrada no Itaquerão

Torcedor de 64 anos morre durante Argentina x Suíça

Messi não acredita numa final entre Brasil e Argentina

Nas oitavas, favoritos sofrem diante de rivais ousados

“A administração lembra que, em menor número, também foram danificados assentos em seis das sete partidas realizadas no estádio até o momento. O único jogo em que a nova casa corintiana se manteve em perfeitas condições no pós-evento foi Corinthians e Botafogo, disputado no dia 1 de junho”, diz a nota do clube.

Torcedores argentinos acompanham o jogo contra a Suíça nas arquibancadas do Itaquerão

 (/)

O Itaquerão já recebeu cinco jogos do Mundial – além de Argentina x Suíça, a abertura entre Brasil e Croácia, Uruguai e Inglaterra, Bélgica e Coreia do Sul e Holanda e Chile. O estádio ainda receberá uma partida das semifinais – entre os vencedores dos jogos Argentina x Bélgica e Holanda x Costa Rica.

Siga no Instagram: uma seleção de fotos exclusivas em @vejanoinsta

A diretoria do Corinthians garante que a Fifa arcará com as despesas. “Todos os danos causados na organização da Copa do Mundo estão sendo registrados, com fotos e vídeos, e serão repassados para o COL (Comitê Organizador Local) para reembolso das despesas, conforme previsto no contrato firmado entre o Sport Club Corinthians Paulista e o COL.”

(Com Estadão Conteúdo)