Clique e assine a partir de 9,90/mês

Itália notifica Maradona e cobra dívida de 39 mi de euros

Fisco exige que ex-jogador pague impostos da época em que atuava no Napoli

Por Da Redação - 18 out 2013, 11h58

Funcionários do fisco italiano notificaram nesta sexta-feira, em Milão, o ex-jogador argentino Diego Maradona por dever cerca de 39 milhões de euros (115 milhões de reais) em uma antiga causa pendente por evasão fiscal. A notificação aconteceu pela manhã, durante a saída do hotel em Milão onde Maradona estava hospedado, pouco antes de viajar a Roma para assistir ao jogo entre Roma e Napoli, no Estádio Olímpico.

Leia também:

‘Quando Benítez sair, quero treinar o Napoli’, diz Maradona

Maradona aponta Brasil como favorito à Copa

O fisco italiano exige que o argentino desembolse o dinheiro por não pagar o imposto relativo a pessoas físicas durante a segunda metade da década de 1980, quando jogava no Napoli. A dívida era a princípio de 13 bilhões de liras (moeda então em vigor na Itália), mas aumentou ao somar os juros.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Maradona argumenta que não se ocupava com os assuntos fiscais e o responsável por isso (acusa diretamente o então presidente e proprietário do clube Corrado Ferlaino e seu representante Guillermo Coppola) não o avisou. A Polícia Financeira italiana já confiscou, na época, brincos que Maradona usava enquanto estava em um centro de emagrecimento do norte da Itália, que foram leiloados em 2010 por 25.000 euros (quase 74.000 reais). Em 2006, aproveitando outra visita à Itália, foi-lhe confiscado um relógio Rolex, avaliado em 11.000 euros (35.500 reais).

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade