Clique e assine a partir de 9,90/mês

Isinbayeva recorrerá ao Tribunal dos Direitos Humanos

Bicampeã olímpica criticou o próprio país pela falta de apoio nos julgamentos que culminaram na exclusão do atletismo russo da Rio-2016

Por Da redação - 25 Jul 2016, 10h42

A bicampeã olímpica de salto com vara Yelena Isinbayeva recorrerá ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos, em Estrasburgo, na França, contra a decisão de excluir a equipe da Rússia de atletismo da Olimpíada do Rio de Janeiro. O anúncio sobre a ação foi feito nesta segunda-feira pelo técnico da atleta russa, Yevgueni Trofimov, em entrevista à Agência R-Sports. No domingo, o Comitê Olímpico Internacional (COI) ratificou a decisão da Associação Internacional de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) de banir a equipe russa devido a um escândalo de doping.

“Após o ocorrido, Yelena recorrerá ao Tribunal de Direitos Humanos de Estrasburgo, porque para ela e toda a equipe a decisão não está de acordo com o direito”, disse o treinador. Trofimov ainda se disse decepcionado com a reação das autoridades russas à decisão do COI. “Deram de ombros.” O ministro de Esportes da Rússia, Vitaly Mutko, chegou a agradecer o COI por não excluir toda a equipe olímpica da Rússia dos Jogos, sem fazer qualquer menção à punição ao atletismo.

Leia também:
Isinbayeva detona ‘funeral’ do atletismo: ‘Puramente político’
COI permite participação de atletas russos nos Jogos do Rio

Rússia acusa EUA de conspiração

Isinbayeva também fez duras críticas ao governo e à federação da Rússia por não apoiá-la. A atleta de 34 anos se preparava para o que seria sua última Olimpíada. Sem ter seu nome envolvido nos escândalos de dopagem envolvendo atletas e entidades russas, Isinbayeva considerou sua exclusão injusta.

“Não vou voltar ao degrau mais alto do pódio nos Jogos Olímpicos, ouvir o hino nacional russo em minha honra e agradar aos fãs. Deus, como estou ferida por esta injustiça. Nossa defesa foi fraca, eu diria que zero. Ninguém se levantou e defendeu os meus direitos. É triste”, desabafou a russa em uma postagem em seu Instagram.

Continua após a publicidade

“São lágrimas de impotência perante esta ilegalidade. As lágrimas são de consciência de tudo que fiz pelo atletismo. Minha vitória em Cheboksary continua sendo o melhor resultado da temporada no mundo. O que eu poderia dar ao mundo no Rio e as emoções continuarão sendo um mistério”, completou a russa.

https://www.instagram.com/p/BIQcgxKj9an/

(com agência EFE)

Publicidade