Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Inter vence com confusão da arbitragem e encosta na briga pelo G-4

Por Da Redação 25 set 2011, 18h11

distância na tabela entre Inter e Atlético-MG não impede que os dois times tenham características semelhantes. Em campo no Beira-Rio, as duas equipes não passaram confiança aos seus torcedores, deixaram espaços e protagonizaram um confronto de altos e baixos. Na soma de tudo, os colorados venceram por 2 a 1, com o gol da vitória ficando envolto por uma confusão da arbitragem.

No primeiro tempo, os donos da casa conseguiram ir ás redes aos 26 minutos com Bolatti. Mesmo melhor na etapa final, os gaúchos não ampliaram. A falta de Leandro Damião, lesionado, foi sentida com os gols desperdiçados por Jô e Delatorre.

O Galo conseguiu o empate com Renan Oliveira, aos 24 minutos. Seis minutos depois, Fabrício marcou o gol da vitória após cobrança de falta de D’Alessandro. O árbitro Péricles Bassols validou a jogada. O bandeira Dilbert Pedrosa assinalou impedimento. Os dois conversaram à beira do gramado, a opinião do árbitro se manteve e o gol foi confirmado.

O clube gaúcho chegou aos 40 pontos e voltou para a sétima posição. No término da rodada, os colorados secam o Palmeiras contra o Atlético-Go. Independente do resultado do Verdão, o time de Dorival ficará a um ponto da zona da Libertadores. Os mineiros seguem em 17lugar com 25 pontos.

No próximo fim de semana, o Inter o Atlético-PR, fora de casa, no domingo. No dia anterior, os mineiros encaram o Palmeiras como visitantes.

O jogo – A situação abaixo das expectativas para os dois clubes no Campeonato Brasileiro deixou os times sem espaço para terem medo na ensolarada tarde de Porto Alegre. A postura trouxe vontade ofensiva e brechas na defesa, tornando o jogo, na ânsia da recuperação, muito corrido e pouco pensado.

Mas as tentativas de ataque não foram suficientemente qualificadas para surgirem chances claras. O Atlético-MG arriscava de fora da área. O Inter, mesmo sem Leandro Damião, tentava arrematar mais próximo do gol, porém, também sem obter sucesso.

Continua após a publicidade

A mudança de perspectiva ocorreu aos 26 minutos. Bolatti partiu com a bola, tabelou com D’Alessandro, driblou um zagueiro com a naturalidade de um atacante e bateu alto e forte para marcar. Gol do gringo. Gol do Inter.

O gol colorado foi um banho de realidade para o Galo. O desespero de seguir entre os rebaixados começou a bater e os erros se multiplicaram em campo. Antes do intervalo, Oscar chutou rente a trave, quase ampliando.

A troca tática promovida por Cuca, como Atlético passando a atuar com três zagueiros, não surtiu efeito positivo. O Inter teve total domínio. Jô, duas vezes, teve a chance, mas não colocou a bola na rede. Andrezinho e D’Alessandro, cobrando falta, também falharam.

As oportunidades desperdiçadas pelo adversário trouxeram confiança ao Galo. Aos poucos os visitantes conquistaram terreno até que, aos 24 minutos, Carlos César cruzou da direita para Renan Oliveira empatar.

Quando a situação parecia ficar favorável para os mineiros tudo se inverteu. Fabrício entrou no lugar de Oscar, no Inter. A troca gerou as primeiras vaias da torcida para o técnico Dorival Júnior. Sua revanche veio com gol. D’Alessandro cobrou escanteio, a bola desviou na zaga e Fabrício, em seu primeiro lance, tocou para dentro.

O juiz Péricles Bassols deu gol, o bandeira Dilbert Pedrosa assinalou impedimento. Após conversa entre os dois, a posição do árbitro prevaleceu, gerando a ira dos atleticanos, resultando na expulsão do zagueiro Réver.

A vitória colorada não foi maior por causa da ausência de Damião. Delatorre perdeu duas oportunidades. Antes do fim, Rodrigo Moledo foi expulso por falta em Daniel Carvalho.

Continua após a publicidade
Publicidade