Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Inter empata com Ceará e continua longe da vaga na Libertadores

Por Da Redação 4 set 2011, 19h59

Na metade do segundo tempo, Guiñazu ficou colado à lateral do estádio Presidente Vargas esfregando uma bolsa de gelo na cabeça para combater o calor. A imagem do volante conhecido por sua raça demonstra o esforço do Inter diante do calor em Fortaleza. Sacrifício que pouco fez diferença na tabela: o time suou para alcançar um empate por 1 a 1 com o Ceará que o mantém longe da zona que dá vaga na Libertadores.

O Colorado termina a 21rodada com 29 pontos, em décimo lugar por ter menos vitórias do que Coritiba e Figueirense, que somam a mesma pontuação. Os gaúchos, entretanto, perderam a oportunidade de se aproximar do Flamengo, última na faixa que classifica para a Libertadores e que estacionou nos 36 pontos.

O Ceará, por sua vez, parou no 13lugar, agora com 26 pontos, ainda sem estar firme na parte da tabela que garante participação na próxima Copa Sul-americana. E os nordestinos poderiam sonhar com mais, já que abriram o placar neste domingo aos 35 minutos do primeiro tempo, com Washington. Mas Jô aproveitou vacilo logo na saída de bola do Vovô no segundo para empatar.

Na quarta-feira, os dois times tentam engatar no Campeonato Brasileiro. O Alvinegro de Fortaleza vai ao Rio de Janeiro para enfrentar o Botafogo às 16 horas (de Brasília), no Engenhão. Já os colorados voltam a atuar em casa no mesmo horário diante do América-MG, dono da pior campanha da competição.

O jogo – O Ceará entrou em campo disposto a fazer a pressão que o caracteriza quando atua como mandante. E do jeito que gosta: pelas laterais. Logo a dois minutos, o goleiro Muriel teve que trabalhar para evitar que uma cabeçada de Washington após cruzamento de Vicente da esquerda entrasse nas redes.

Continua após a publicidade

Sem confiança e confuso diante da correria da equipe nordestina, os comandados de Dorival Júnior ainda conseguiram assustar em chute do lateral Kleber dentro da área, mas demorou para perceber quem imprimia tanta velocidade à partida: ao atacante Osvaldo.

O jogador do Vovô mexia-se constantemente e era quase sempre o alvo dos passes alvinegros. Prendendo a atenção de seus marcadores, abria espaço para acionar as laterais e fazer o Inter sofrer com seu principal defeito: a bola aérea defensiva. Muriel teve bastante trabalho diante do calor da noite cearense.

Aos 34 minutos, o zagueiro Moledo teve que fazer falta para parar Osvaldo. A infração, entretanto, foi cometida dentro da área, caracterizando pênalti que Washington converteu para colocar os anfitriões em vantagem no placar. Condição conseguida também porque o goleiro Diego segurava os arremates de fora da área dos visitantes.

Enquanto o Inter ainda tentava entender uma forma de poder atuar no campo adversário, Washingto ainda acertou a trave antes do intervalo. O Ceará, contudo, estava tão bem que vacilou logo na saída de bola para o segundo tempo. Enrico tocou para trás e Jô usou sua força física para invadir a área, driblar Fabrício e empatar antes de o relógio marcar um minuto na etapa final.

Dorival Júnior já havia colocado Ilsinho para explorar a velocidade na frente e conseguiu se dar bem com uma postura de preencher seu campo defensivo para procurar tanto o meia quanto Jô. O time se equilibrou, mas continuou sofrendo na bola aérea. O segundo gol nordestino não saiu porque Muriel comprovou sua bela atuação debaixo das traves.

Cansado, o Colorado ainda criou excelente oportunidade que Jô jogou para fora praticamente sem goleiro, nos minutos finais. Era o prêmio para o esforço de uma equipe que se sacrificou, mas, quando respirou fundo, percebeu que um ponto era pouco para suas pretensões no Brasileiro.

Continua após a publicidade
Publicidade