Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ingressos para 2013 vão custar entre 57 reais e 418 reais

Fifa reservou um setor apenas aos brasileiros, com preços populares, mas o número de bilhetes desse tipo é limitado. Torcedores enfrentarão um sorteio

Por Giancarlo Lepiani 8 nov 2012, 11h45

Assistir à partida de abertura no segundo melhor setor, por exemplo, custará 190 reais. Uma entrada para a semifinal na categoria 3 sai por 152 reais

Os brasileiros terão privilégios na compra dos ingressos para a Copa das Confederações, no ano que vem. Preocupada em atender ao público local e evitar que os torcedores do país-sede tivessem aceso limitado demais ao evento, a Fifa reservou uma das quatro categorias de bilhetes para venda exclusiva no Brasil. Essa categoria tem os ingressos mais baratos – a partir de 57 reais, ou 28,50 com meia-entrada – e dará prioridade a estudantes, idosos e beneficiários do Bolsa Família. Qualquer torcedor poderá fazer o pedido por um ingresso dentro dessa faixa de preços, mas esses três grupos têm prioridade – o que torna a compra por pessoas fora desses critérios muito improvável. Como é de costume nos eventos da Fifa, os torcedores usarão o site da entidade para registrar seus pedidos. Os bilhetes serão decididos por sorteio, já que há um número muito maior de candidatos do que entradas disponíveis. No total, serão 897.825 ingressos, sendo que 829.286 serão colocados à venda ao público comum. O restante corresponde a bilhetes VIP, entradas de cortesia e ingressos para a imprensa.

A entrada mais cara oferecida para o torneio custa 418 reais, para a finalíssima, no Estádio do Maracanã, em 30 de junho de 2013 – e no melhor setor disponível das arquibancadas. O valor é inferior, por exemplo, ao que costuma ser praticado em grandes shows de artistas estrangeiros nas principais cidades do país. Abaixo da categoria 1, que oferece a melhor visão para o gramado, há duas categorias de preço antes da quarta, exclusiva para os torcedores locais. Nessas duas faixas de preço, é possível ver uma partida importante por 152 reais (uma semifinal na categoria 3). Assistir à partida de abertura no segundo melhor setor, por exemplo, custará 190 reais. Os brasileiros comprarão os ingressos em reais, e os estrangeiros, em dólares. O cálculo dos valores, aliás, foi outro aspecto que beneficiou os torcedores do país-sede. A Fifa decidiu fixar o câmbio em 1,90 real – o dólar está hoje na casa dos 2 reais e pode variar ainda mais antes do torneio, mas os preços em reais não serão afetados.

Limites – Uma pré-venda das categorias de 1 a 3 será iniciada exclusivamente para quem tem cartão de crédito Visa, parceira da Fifa, entre 21 e 30 de novembro. Nesse processo, já serão aceitos os pedidos de torcedores do mundo todo. Em seguida, a partir de 3 de dezembro – depois, portanto, do sorteio dos grupos, marcado para dois dias antes – serão disponibilizados ingressos de todas as categorias. Para a categoria 4, serão pelo menos 50.000 bilhetes. A Fifa lembra que a ordem do pedido não importa: quem pedir sua entrada no primeiro dia de venda e o torcedor que só acessar o sistema no fim do prazo terão a mesma chance no sorteio das entradas. O sistema é considerado pela entidade o mais justo, já que seria impossível atender à demanda por entradas entre os torcedores de todo o planeta. A entidade esclarece ainda que cada torcedor poderá requerer a compra de até seis ingressos individuais para cada jogo. Os pedidos serão limitados a dez jogos por pessoa. Além dos bilhetes indivuduais, há a opção de um carnê com entradas para todos os jogos de uma sede específica. Brasília, por ser palco apenas do jogo de abertura, não contará com um carnê desse tipo.

Os ingressos para a abertura, em 15 de junho, em Brasília, custarão entre 76 reais e 266 reais no preço cheio, sem meia-entrada. Os mesmos valores se aplicam para as semifinais. Na fase de grupos, os bilhetes variam de 57 reais a 228 reais O ingresso mais barato para a finalíssima custará 95 reais. Os ingressos para portadores de deficiência com mobilidade reduzida – 1% do total da capacidade do estádio – custarão o dobro do valor normal, mas só porque reservam duas cadeiras, garantindo também a entrada de um acompanhante (nesse caso, não é possível comprar só um assento). Para tentar conseguir um ingresso, o torcedor terá de entrar no site da Fifa, criar uma conta em seu nome e indicar suas preferências – jogos desejados, setores escolhidos, quantidade de bilhetes.O pagamento será feito por cartão de crédito – a Visa não terá exclusividade – e também por boleto bancário, opção adotada por sugestão dos dirigentes brasileiros, para não excluir quem não tem cartão. Sobre o uso dos cartões, aliás, a Fifa manda um recado: quem fizer um pedido com um cartão sem crédito suficiente para a compra corre o risco de perder a chance de conseguir um ingresso. O sistema é automático e, quando um número é sorteado, o débito é realizado na hora. Cartões com limite estourado não terão uma segunda chance.

Leia também:

Blog da Copa: Na reta final, sedes ameaçadas tentam convencer a Fifa

Maracanã: a hora de decidir os próximos 35 anos do gigante do Rio

Continua após a publicidade

Em Mundial de Futsal, a Fifa mostra que não hesita em vetar arenas

Na semana passada, Valcke deu útimo alerta para as sedes de 2013

Atrasos – Para alívio do país-sede, a Fifa não concretizou a ameaça de cortar duas das sedes previstas. O Brasil esperava confirmar todas as seis sedes não só para evitar o fiasco de ter alguma arena excluída por estar atrasada, mas também para testar o maior número possível de cidades na Copa das Confederações, que acontece um ano antes do Mundial, entre os dias 15 e 30 de junho de 2013. O Mundial terá o dobro de sedes, doze. Para tentar convencer a Fifa, Recife e Salvador prometeram que terminarão as obras a tempo, até abril do ano que vem, dois meses antes do início da competição. O anúncio das sedes e dos preços dos ingressos foi realizado com a presença de Ronaldo, integrante do comitê organizador da Copa do Mundo, José Maria Marin, presidente da CBF e do COL, Aldo Rebelo, ministro do Esporte, e Thierry Weil, diretor de marketing da Fifa, responsável pela comercialização das entradas para os eventos promovidos pela entidade. Também participaram da entrevista coletiva Walter De Gregorio, diretor de comunicações e assuntos públicos da Fifa, e Luis Fernandes, secretário executivo do Ministério do Esporte.

A tabela da Copa das Confederações já estava pronta desde maio, com todas as datas dos jogos já definidas. A versão oficial sempre teve seis sedes, como previsto desde o início. A Fifa avisou, porém, que deixou prontas as outras duas versões como precaução. Em qualquer uma das opções, a seleção brasileira seria cabeça de chave do grupo A e disputaria a partida de abertura no Estádio Nacional de Brasília (na galeria acima, fotos das obras e dos projetos dos estádios). A decisão acontecerá no Maracanã, que deverá ser reinaugurado em fevereiro do ano que vem. O sorteio dos grupos e dos confrontos da Copa das Confederações será realizado também em São Paulo, no dia 1º de dezembro. Além do Brasil, já estão classificados para o torneio a Espanha (campeã do mundo), o Uruguai (campeão da Copa América), o México (da Concacaf), Japão (Copa da Ásia), Taiti (Copa da Oceania) e Itália (que perdeu a final da Eurocopa para a Espanha e ficou com a vaga). Falta definir o representante da África.

Leia também:

Após cinco anos, Mundial de 2014 fica mais caro – e pesa no seu bolso

Governo anuncia primeiro cancelamento de obra prometida para 2014

Fifa acha que a Copa finalmente entrou nos trilhos. Mas a que preço?

Para o torcedor, Brasil-2014 deverá ser a ‘Copa do Mundo da corrupção’

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade