Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ingressos caros e novas arenas rendem bilheteria recorde no Brasileirão

<p>Dos 30 maiores públicos da competição, 29 foram registrados nos estádios modernos. Arrecadação total ultrapassou 215 milhões de reais</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 19h09 - Publicado em 10 dez 2014, 08h23

O Campeonato Brasileiro de 2014 teve a maior bilheteria da história da competição, com a marca de 215,7 milhões de reais nos 380 jogos da Série A. Nos últimos dez anos, o aumento das bilheterias atingiu a marca de 289%. O principal motivo é o aumento do valor dos ingressos, 12% mais caros em relação ao ano passado, de acordo com um estudo exclusivo realizado pela empresa de consultoria e auditoria BDO.

Leia também:

Brasileirão teve média de gols baixa, mas público subiu

CBF divulga Ranking Nacional de Clubes; Cruzeiro lidera

Continua após a publicidade

Ricardo Goulart é eleito o Bola de Ouro de 2014

À primeira vista, o recorde de arrecadação poderia sugerir também um aumento significativo do público nos estádios, mas os números não permitem chegar a esta conclusão. O aumento dos torcedores foi de apenas 9% em relação ao ano passado e a média nos estádios foi de 16,3 mil, próximo da marca dos últimos dez anos, na casa de 15,2 mil. “A média de público não sofreu um aumento significativo a ponto de explicar a arrecadação recorde. O principal fator realmente é o aumento do valor dos ingressos”, explica Pedro Daniel, gerente da divisão Esporte Total da consultoria.

Continua após a publicidade

Torcidas atiraram rojões contra os rivais no clássico vencido pelo Atlético por 3 a 2
Torcidas atiraram rojões contra os rivais no clássico vencido pelo Atlético por 3 a 2 VEJA

​Arenas – Outra grande conclusão do estudo é o sucesso das novas arenas esportivas – construídas ou reformadas para a Copa do Mundo, além das novas casas de Grêmio e Palmeiras. Das 30 maiores bilheterias do torneio, 29 foram registradas nos estádios novos. Além disso, a média de público foi 88% superior em relação às antigas arenas, o que comprova o grande apelo que tiveram sobre a torcida.

O Allianz Parque, estádio onde o Palmeiras garantiu sua permanência na Séria A, teve média de 34.545 pessoas por jogo, a melhor média. Este dado, no entanto, precisa ser relativizado, pois foram realizadas apenas duas partidas no local. Ou seja, o fator “novidade” é a principal justificativa para a ida ao estádio palmeirense. Com o passar dos meses, esse apelo tende a diminuir. Já o Itaquerão, a nova casa do Corinthians, aparece logo em seguida em média de público: 30 mil torcedores foram ao estádio nos 18 jogos da equipe paulista em Itaquera.

O ingresso para assistir a um jogo nas novas arenas foi, em média, 84% mais caro que nos estádios antigos. A referência, novamente, é o estádio do Palmeiras. Com um preço médio de 114,10 reais, o ingresso do Allianz Parque foi o mais caro. Para Pedro Daniel, isso impõe um desafio para os estádios antigos. “Eles precisam oferecer novos serviços e apresentar maior valor agregado para competir com as novas arenas.” O bicampeão Cruzeiro foi o dono da maior média de público (29.569). A equipe mineira participou de cinco dos dez jogos com maior público do torneio.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade