Clique e assine a partir de 9,90/mês

Indy em SP: canadense ganha com ultrapassagem no final

Depois do abandono de Tony Kanaan, vítima de uma falha da própria equipe, briga ficou entre Sato e Hinchcliffe - que assumiu a ponta só na última curva

Por Davi Correia - 5 May 2013, 15h09

Hinchcliffe fez uma linda manobra e ultrapassou o japonês na última curva da prova, acelerando forte para cruzar em primeiro. Sato o aplaudiu – assim como a torcida no Anhembi

O brasileiro Tony Kanaan continua sem sorte em suas corridas pela Fórmula Indy no Brasil. Na tarde deste domingo, no Sambódromo do Anhembi, ele até começou bem, chegou a assumir a liderança, deu esperanças à torcida e pintou como candidato forte a vencer a São Paulo Indy 300, mas não completou a prova por um erro banal da equipe KV Racing: faltou combustível na reta do Sambódromo. O novo desenho da pista cumpriu seu objetivo e deu mais competitividade a prova, que também foi marcada pelos toques entre os carros e abandonos por colisão, comuns nas provas de rua da categoria. Com os brasileiros longe da briga pelo pódio e Will Powell, três vezes vencedor da corrida, fora da disputa, o canadense James Hinchcliffe acabou sendo o vencedor, seguido pelo japonês Takuma Sato e pelo americano Marco Andretti. Entre os brasileiros, Helio Castroneves foi o melhor classificado, na décima terceira posição.

Leia também:

Continua após a publicidade

Vice da Indy elogia pista; brasileiros aprovam mudança

Tony Kanaan corre com a mão fraturada no Anhembi

Organizadores da Indy em SP prometem a pista lisinha

Ao contrário dos anos anteriores, em que batidas logo na largada atrapalharam os planos de muita gente, a corrida deste domingo começou sem colisões e num bom ritmo de disputa. Tony Kanaan, que largou em quarto lugar, logo pulou para a terceira posição, mas foi ultrapassado em uma das várias relargadas provocadas por bandeiras amarelas. Ele chegou a assumir a liderança depois de uma bela ultrapassagem, mas foi obrigado a abandonar a prova depois que seu carro ficou sem combustível. Kanaan fez um grande esforço para disputar a prova, já que estava com a mão fraturada. A brasileira Bia Figueiredo foi a primeira a abandonar a prova, por problemas na caixa de câmbio. Depois das 75 voltas, seis pilotos não completaram a corrida. Com menos carros na pista, Sato e Hinchcliffe travaram uma disputa emocionante, com o canadense perseguindo o japonês de forma implacável durante várias voltas. Depois de uma briga de tirar o fôlego, Hinchcliffe fez uma linda manobra e ultrapassou Sato na última curva, acelerando forte para cruzar em primeiro. Sato o aplaudiu – assim como a torcida no Anhembi.

Continua após a publicidade

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Publicidade