Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Imprensa estrangeira reprova festa: “Quase um papelão”

Curta duração e cadeiras vazias chamaram a atenção da imprensa internacional

A cerimônia de abertura da Copa do Mundo, realizada na tarde desta quinta-feira no Itaquerão, em São Paulo, recebeu críticas nas redes sociais e de boa parte da imprensa estrangeira. Diários esportivos de Argentina, Itália e Espanha condenaram a curta duração do espetáculo e a pouca empolgação do público – que não lotou as arquibancadas. A cantora Claudia Leitte, no entanto, escapou das críticas. “Salvou a festa de um papelão”, escreveu em sua versão digital o diário argentino Olé.

Leia também:

E começa a Copa dos corações divididos

Seleção de Felipão chega forte, sem medo nem desculpas

Nas últimas Copas, Brasil estreou vencendo apertado

Aberturas de Copas: poucos gols e algumas zebras

Seleção abre 2ª Copa em casa com a história do seu lado

Conhecido por seu humor ácido, o Olé considerou a atração musical, estrelada pelos americanos Pitbull, Jeniffer Lopez e a brasileira Claudia Leitte, como o único ponto positivo da cerimônia. “Por que não apostaram mais forte na música?.” O jornal argentino ainda destacou as vaias e insultos à presidente do Brasil Dilma Rousseff e a Joseph Blatter, presidente da Fifa.

O diário espanhol Marca também reprovou o espetáculo dirigido pela belga Daphné Cornez. “Discreta, talvez a mais curta (abertura) de todas as Copas”. O italiano La Gazzetta Dello Sport reservou novos elogios às cantoras, mas ironizou: “Amazônia, capoeira e J-Lo. E o show dura apenas 25 minutos”. Nas redes sociais, muitos brasileiros também reclamaram das coreografias, consideradas semelhantes às realizadas em festas de colégio.