Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Huertas reverencia Magnano e minimiza prêmio individual no Pré-Olímpico

Por Da Redação
13 set 2011, 16h01

O armador Marcelinho Huertas foi o único jogador da Seleção Brasileira, vice-campeã do Pré-Olímpico de Mar Del Plata, escolhido para compor o time do torneio. Ainda assim, ele minimizou a premiação individual e reverenciou o treinador argentino Ruben Magnano.

‘O basquete é um esporte coletivo e os feitos individuais não adiantam nada se o time não consegue seus objetivos. Não valeria nada se não tivéssemos conseguido a classificação para as Olimpíadas’, afirmou Huertas ao desembarcar no Aeroporto de Guarulhos.

No comando da seleção argentina, Ruben Magnano conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de Atenas-2004, dois anos depois de ficar com o vice-campeonato mundial em Indianápolis-2002. Afastado dos Jogos desde Atlanta-1996, o Brasil voltou sob o comando do treinador.

‘São os jogadores que entram em quadra, mas sem o suporte, o conhecimento, a sabedoria e a experiência do Ruben, seria 10 vezes mais difícil. Ele já ganhou quase tudo e agora conseguiu mais um feito histórico. É um espelho não apenas para os técnicos brasileiros, mas para os técnicos do mundo todo’, declarou Huertas.

Sob o comando do exigente treinador argentino, a Seleção Brasileira mudou seu estilo e passou a jogar de maneira mais cadenciada. A força da defesa, prioridade de Ruben Magnano, foi apontada pelos próprios jogadores como fator fundamental para o sucesso no Pré-Olímpico.

Continua após a publicidade

‘Hoje em dia, o basquete não é mais jogado na loucura. Poucos times podem se dar ao luxo de jogar assim, como os Estados Unidos. Os centro-americanos também tentam, como Porto Rico e República Dominicana. Com um jogo cadenciado, levado no relógio, você consegue resultados melhores a longo prazo do que jogando na correria’, disse o armador.

Para Huertas, a mudança de estilo da Seleção Brasileira foi iniciada pelo espanhol Moncho Monsalve e aperfeiçoada por Magnano. Recém-contratado pelo Barcelona, o armador vive o auge de sua carreira aos 28 anos, mas faz plano ambiciosos para o futuro.

‘Eu gosto de aprender e melhorar aos poucos. É claro que todos têm um limite, mas a gente sempre pode aprender. Os veteranos tendem a te ensinar coisas. Quem tem vontade, sempre aprende, independente da idade. Espero que meu melhor momento ainda esteja por vir’, encerrou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.