Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

He-Man faz gol e até briga com árbitro, mas fica sem bola da final

No último lance do Campeonato Carioca de 2012, a bola parou em Rafael Moura, autor do gol da vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo. Ao ver que Marcelo de Lima Henrique daria o apito final, o atacante pegou a bola na mão, mas o árbitro fez questão de ficar com ela apesar dos pedidos do jogador, que ficou sem a lembrança.

‘O árbitro não me deu, o bandeira também não. Mas eles fazem parte de um quadro que trabalhou em uma final. Fiquei sem a bola, faz parte’, falou o centroavante, misturando chateação e conformismo ao deixar o Engenhão.

Logo após o apito final, contudo, o atleta chamado de ‘He-Man’ parecia obstinado a ficar com a bola. Levou até uma bronca do árbitro ao tentar convencê-lo, em vão. ‘Quis e ainda quero a bola. Briguei com o árbitro e o assistente. Vou ver com alguém da Federação’, dizia, demonstrando irritação ao ver Rafael Sobis com uma bola sob a camisa. ‘Sou mais forte do que o Sobis, vou conseguir.’

Rafael Moura não conseguiu. Mas se tornou o autor do último gol que selou o título carioca e pôde homenagear sua mãe, que estava no Engenhão neste Dia das Mães. ‘Minha família inteira estava aí. É bom fazer gol em final como homenagem’, comemorou.

O centroavante só não quer ser colocado como herói da conquista. O jogador, que substituiu o machucado Fred, faz questão de enaltecer a vitória por 4 a 1 na primeira final que deu mais tranquilidade ao Tricolor neste domingo ‘Meu gol foi importante, mas meus companheiros fizeram quatro gols no outro jogo e ajudaram também’, argumentou.