Clique e assine com 88% de desconto

Hamilton vence o Grande Prêmio do Canadá, Massa 10º

Por Stan Honda - 10 jun 2012, 18h43

O britânico Lewis Hamilton (McLaren) venceu o Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1, sétima prova do ano, neste domingo no circuito Gilles-Villeneuve de Montreal, superando o francês Romain Grosjean (Lotus, 2º) e o mexicano Sergio Pérez (Sauber, 3º).

Com o triunfo de Hamilton, campeão mundial em 2008, todas as sete corridas desta temporada tiveram vencedores diferentes, o que nunca aconteceu desde a criação da competição, em 1950.

Os brasileiros voltaram a decepcionar. Felipe Massa, da Ferrari, marcou apenas um ponto ao chegar em 10º, enquanto Bruno Senna, da Williams, completou a prova em 17º.

Após largar na segunda posição, o britânico fez uma corrida perfeita, parando duas vezes para trocar de pneus, enquanto Grosjean e Pérez, que surpreenderam ao subir no pódio, foram para os boxes apenas uma vez.

Publicidade

Graças a esta estrégia, o piloto da Mc Laren acompanhou o ritmo do atual bicampeão mundial, o alemão Sebastian Vettel, que saiu da pole-position e também parou duas vezes.

“Foi uma das melhores corridas da minha carreira. Mal consegui acreditar quando cruzei a linha de chegada”, declarou Hamilton antes de parabenizar a sua equipe pelo bom desempenho do seu carro.

No fim da corrida, Vettel foi ultrapassado por Hamilton e logo em seguida por Grosjean e Pérez, chegando apenas em quarto.

Ao vencer sua primeira corrida na temporada, Hamilton assumiu a liderança isolada do campeonato mundial, com 88 pontos, dois à frente do espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, que chegou em quinto em Montreal.

Publicidade

O alemão Nico Rosberg, da Mercedes, ficou em sexto, na frente de Mark Webber, da Red Bull, que decepcionou ao chegar apenas em sétimo enquanto tinha largado em quarto.

O finlandês Kimi Räikkönen, da Lotus, completou a prova na oitava posição e o japonês Kamui Kobayashi, da Sauber, ficou em nono.

Já o britânico Jenson Button, companheiro de equipe de Hamilton na Mc Laren não pontou e chegou apenas em 16º.

A corrida foi disputada sob forte esquema de segurança devido aos protestos dos estudantes que tomaram as ruas de Montreal durante a semana toda para reclamar contra o aumento das mensalidades universitárias.

Publicidade

Alguns também criticaram o próprio Grande Prêmio, ao chamá-lo de “festival do turbo-capitalismo”.

Todas as pessoas sem ingressos foram impedidas de ter acesso ao arredores do circuito, situado na Ilha Notre-Dame. Milhares de policiais foram mobilizados e dezenas de manifestantes foram detidos durante a semana.

Publicidade