Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Guilherme afirma que responsabilidade de marcar gols é de toda equipe

Por Da Redação - 6 out 2011, 08h53

Contratado para ser o substituto de Diego Tardelli e resolver o problema de gols do Atlético-MG, o atacante Guilherme ainda não correspondeu. Um dos motivos para o baixo rendimento do jogador são as seguidas lesões que vem atrapalhando o atleta. A última contusão foi na coxa direita e deixou o avante fora da equipe por várias rodadas. Recuperado, Guilherme rechaça o rótulo de salvador da pátria e afirma que a responsabilidade de marcar os gols é de todos os atacantes da equipe.

‘São vários homens. Eu, o Magno, o André, o Obina, o Cambalhota. A responsabilidade é de todos. Não dá para jogar em cima de um só. Nem sempre as finalizações são só dos atacantes. Da mesma forma que a responsabilidade de defender não pode ser só dos zagueiros. Lógico que somos treinados para isso, mas no último jogo o Fernando Henrique pegou muito bem’, declarou.

Questionado sobre a possibilidade de voltar ao time no clássico do próximo final de semana contra o América-MG, na Arena do Jacaré, Guilherme disse que está pronto para atuar e ajudar o Galo. Porém, o jogador acredita que vai precisar de cerca de três a quatro partidas para entrar no mesmo ritmo dos demais companheiros.

‘Vejo com bons olhos a minha volta. A partir do momento em que se reintegra ao grupo, a gente quer ficar disponível para atuar. E se for o caso, estou à disposição. Você, quando volta, precisa de no mínimo três, quatro jogos para se adaptar. Muitas vezes, não tenho jogado nem isso. No meu caso, as lesões atrapalharam. É procurar estar bem de novo e ajudar’, afirmou.

Publicidade