Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Guia da Copa: Uruguai, Celeste Olímpica

Maior surpresa da última Copa do Mundo (quando a equipe, desacreditada no início, chegou à semifi nal), o Uruguai precisa repetir a dose no Brasil. Por mais que a garra charrua sempre conte a favor, principalmente em um torneio de apenas sete partidas, a pouca renovação do time nos últimos quatro anos pesa contra. A base que vem ao Brasil é a mesma que foi à África do Sul e que em 2011 conquistou a Copa América. Na defesa, o capitão Lugano não é mais o mesmo e Diego Forlán, considerado o melhor jogador da Copa de 2010, virou reserva. Mas é possível dizer que houve evolução no ataque: a dupla formada por Luis Suárez e Edinson Cavani é provavelmente a mais perigosa deste Mundial. Se os dois estiverem inspirados, pode fi car difícil segurar o Uruguai. De novo, a Celeste Olímpica corre por fora. Desta vez, movida pelo sonho de um novo Maracanazo.

O CRAQUE

Luis Suárez

27 anos • Liverpool (Inglaterra)

Um dos maiores atacantes do planeta na atualidade, Suárez é do tipo que não desperdiça oportunidades. Não se importa em marcar de canela, menos ainda de pôr a mão na bola para impedir um gol nas quartas de fi nal de uma Copa do Mundo, como em 2010. Polêmico, é acusado de se jogar para cavar faltas. Ele dá de ombros. Forte candidato à artilharia do Mundial.

JOGOS

  • URUGUAI x COSTA RICA 14 de junho (sáb.) – 16h Fortaleza
  • URUGUAI x INGLATERRA 19 de junho (qui.) – 16h São Paulo
  • ITÁLIA x URUGUAI 24 de junho (ter.) – 13h Natal

FIQUE DE OLHO

Gastón Ramírez

23 anos • Southampton (Inglaterra)

Além de ter a responsabilidade de servir a dupla Suárez-Cavani, este meia-esquerda habilidoso se destaca pelos chutes de longa distância.

DESEMPENHO EM COPAS

11 Copas, 47 jogos: 18 vitórias

12 empates

17 derrotas

MELHOR PARTICIPAÇÃO

Campeão (1930, 1950)

RANKING FIFA

6º lugar

CONTRA O BRASIL EM COPAS

2 jogos: 1 vitória

1 derrota

3 gols a favor

4 gols contra

TIME-BASE

Esquema tático: 4-2-3-1

TREINADOR

Óscar Tabárez, 67 anos

Foi mantido no cargo após o quarto lugar na África do Sul. Em 2011, conquistou a Copa América, na Argentina.

Esta reportagem faz parte do Guia da Copa de VEJA.

Para ler outras reportagens baixe grátis a edição especial no IBA,

no tablet ou no iPhone.