Clique e assine com até 92% de desconto

Guerrero deixa para Corinthians decisão de defender ou não seleção

Por Da Redação 1 ago 2012, 12h43

Convocado para defender o Peru em amistoso de 15 de agosto contra a Costa Rica, Paolo Guerrero não tem certeza se será liberado pelo Corinthians para se apresentar à seleção de seu país. No dia seguinte, a equipe enfrenta o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro.

‘É uma situação difícil. Só tenho que me sentir feliz porque as duas partes precisam de mim. Bom, a decisão é também um pouco do clube, vou esperar que me digam algo para tomar uma decisão, para saber o que quer o treinador (Tite)’, disse o centroavante, nesta quarta-feira.

Por ocupar zona intermediária da competição nacional e ter como prioridade no segundo semestre o Mundial de Clubes, o Corinthians não deve dificultar. Mesmo perdendo também o volante Ramírez, outro peruano do elenco chamado pelo técnico Sérgio Markarian. O clube, inclusive, emitiu nota em seu site oficial destacando a convocação de ambos.

De qualquer forma, Guerrero não quis tomar partido quando perguntado sobre sua preferência. ‘É uma boa pergunta. Gosto sempre de jogar pela minha seleção, e o Corinthians tem uma partida muito importante contra o Internacional, que é uma grande equipe, com muito bons jogadores. Uma decisão difícil’, balançou.

Ídolo maior da seleção peruana – motivo pelo qual foi muito assediado pela imprensa de seu país assim que chegou do futebol alemão -, o atacante disse esperar por acordo entre os dirigentes do clube e a Federação Peruana de Futebol. ‘Que não haja nenhum tipo de problema’, frisou.

Até o momento, o novo camisa 9 fez duas partidas. Entrou na etapa final da vitória sobre o Cruzeiro e no empate sem gol com o Bahia. Nesta quarta-feira, foi testado por Tite entre os titulares na preparação para o confronto de domingo, contra o Vasco, em São Januário.

Continua após a publicidade
Publicidade